Bezerra de Menezes

Casa de Recuperação e Benefícios

Bezerra de Menezes

Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade. — Allan Kardec

EURÍPEDES BARSANULFO E GABRIEL,
O ARAUTO DA ANUNCIAÇÃO

Na semana passada destacamos aqui a preciosidade desta obra mediúnica psicografada por Eurípedes Barsanulfo, o nosso Apóstolo de Sacramento - "Eurípedes Barsanulfo, Médium de Jesus" - com preciosíssimas mensagens de algumas das "Virtudes dos Céus", Espíritos Superiores, em sua maioria participantes da Revelação Crística, que vieram também manifestar a sua presença e participar do advento do Consolador prometido por Jesus, o Espírito da Verdade, a Terceira Revelação: Os Evangelistas, Isabel, Zacarias, João Batista, José, Maria... então todos lá. Na oportunidade, para salientar o valor dessa obra e das mensagens que traz, publicamos a primeira mensagem de Maria contida em suas páginas. Hoje damos sequência a esse esforço, publicando desta vez pequeno trecho das palavras de Gabriel, o "Anjo" ou "Espírito" que fez o papel de arauto da anunciação, do encontro entre o Céu e a Terra que se concluiu com a histórica e belíssima sentença de Maria: "Faça-se em mim conforme a vontade do Senhor". Não vamos nos alongar em nossos comentários, a mensagem fala por si. Importante é poder testemunhar o fato de que as três revelações "se falam", e que a Revelação Espírita confirma e esclarece em todos os pontos as passagens relacionadas à presença de Jesus na Terra, entre as quais, claro, o episódio da anunciação e da encarnação especial empreendida pelo Espírito Crístico para poder se fazer presente, visível e tangível entre nós. Vamos ao texto, pois:

A paz bendita do Senhor seja o rubi mais caro que, engastado, brilha em vossos Espíritos.

Oh! Quando, há milhares de anos recebi ordens para descer a uma pobre cabana, ordens de Deus, todo poderoso, sim, há milhares de anos que desci nesta cabana para assim pedir: salve, oh! donzela, oh! Espírito eleito do Senhor!

Salve, Maria.

A cheia de graça! Bem aventurada és tu porque de teu ventre nascerá o Redentor que conduzirá ao reino do Senhor a humanidade pela palavra, pelos atos, pelas virtudes e pelos ensinamentos. Quando a mulher, humilde e fervorosa, recebe a minha anunciação, Ela se cora e tomada de um doce enleio por não saber como é que Ela se constituiria a mãe de Jesus. Sim, Maria, sobre vós virá a sobra do Espírito Santo e o vosso ventre dele recebendo os puríssimos fluidos que devem constituir o corpo do divino Nazareno. Vós, Maria, sereis destarte aquela que há de gozar primeiro da presença do Salvador neste mundo.

No ímpeto de toda humildade, Maria recorda-se de que por Deus viera à Terra mandada ao desempenho da sublime missão de ser mãe de Jesus. E então, Maria, de joelhos, como estava, volvendo os olhos ao céu, declara: "faça-se em mim a vontade do Senhor".

Realizado estava o pacto, feita estava a aliança da humanidade terrena com seu Deus, chegado foi, no relógio da eternidade, o momento em que Maria, em êxtase sublime, recebe nos braços o farol iluminador da humanidade terrena - Jesus.

Correm os tempos e ei-Lo, com o verbo divino, convidando a humanidade a se redimir.

Jesus, o Senhor Divino, sai a pregar à Humanidade!

Jesus prega a Caridade!

Jesus! Jesus, ei-Lo entre o povo, ei-Lo entre a humanidade dizendo: "Deixar vir a mim as criancinhas porque delas é o Reino dos Céus"; "Bem aventurados os que choram porque serão consolados; Bem aventurados os humildes porque verão a Deus". Eis Jesus, ensinando, curando os paralíticos. Eis Jesus entregando à humanidade a chave da caridade que tem por fim abrir as portas dos mundos que povoam o universo!

Eis Jesus dizendo à humanidade que, para a salvação de seus Espíritos, esta tinha de trilhar seus passos por caminhos de crueis sacrifícios e declarar peremptoriamente: homens, amai-vos uns aos outros. Eu vos dou ensinamento único capaz de vos constituir filhos de Deus e tornar-vos puros. Sim, meus irmãos, entregai-vos à prática do bem, à prática da caridade e tereis salvo e redimido a vossa alma.

Ah! Jesus, então, em troca do amorável sentimento da fraternidade e do amor recebe o sentimento da perseguição e do ódio e da vingança!

Ei-lo que escala o gólgota para ensinar à humanidade ver-se submissa à vontade de Deus.

Eis Jesus que saindo ao mundo dissse que mandaria o Consolador para revelar outros ensinamentos, para receber os que a humanidade não se achava preparada!

Este Consolador, este Espírito da Verdade, na Terra está desde o dia em que o Divino Senhor reergueu para, de novo, tornar ao seio de seus discípulos e de seu apóstolos[...] ide e pregai [...]!

(Mensagem recebida a 09-05-1908,às páginas 167-169 da ed. citada).



VEM AÍ O XXII CONGRESSO NACIONAL PIETRO UBALDI. PARTICIPE! CLIQUE E SAIBA MAIS.