Retrato de Bezerra de Menezes

Casa de Recuperação
e Benefícios
Bezerra de Menezes

Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade. - Allan Kardec

Estude o Esperanto,
o idioma universal da Paz!

Logo do Youtube

MENSAGENS DE IGNÁCIO BITTENCOURT

PARA SABER MAIS SOBRE A VIDA E OBRA DESSE GRANDE SEAREIRO DE NOSSO MOVIMENTO ACESSE NOSSA PÁGINA DE BIOGRAFIAS, SAL DA TERRA.

AOS MÉDIUNS EM TRABALHO

Foto de Inácio Bittencourt"Para que te unas à faixa do Senhor, observa estes preceitos, abrindo teu coração ao Mestre:

  1. Que nunca duvides de uma intuição. O bom médium já sabe sentir as vibrações de seu mentor a orientar-lhe os passos nos caminhos dúbios;

  2. Confia na assistência espiritual à qual te ligaste, entregando-te, confiante, a todos os trabalhos para que fores designado, com humildade, dando o que de ti tiveres de melhor;

  3. Que teu pensamento, na prece, busque as ligações do fio que te unirá ao Cristo, fugindo sempre a pedidos pessoais e entregando-te à oração silenciosa, sabendo desde já que, mais que tu, os vê o Senhor e, portanto, já te dará o que fizeres por merecer e que te for de benefício;

  4. Paciência para com os companheiros de reunião. Ajuda aos mais fracos de pensamento e ora pela fortaleza dos laços seguros dos superiores;

  5. Orienta, quando chegar a tua vez de falar, ciente de que és instrumento do Senhor aos ouvidos do público e, naquele momento, é por tua palavra que virão as mensagens do Alto;

  6. Prepara-te para receberes a assistência dos Orientadores Espirituais, purificando, definitvamente, teu corpo e teus pensamentos, não somente em dias de trabalho, mas sempre, para que não fiques à beira do caminho e sejas, cada vez mais, veículo de expressões de amigos de alta espiritualidade;

  7. Confia nas orientações das páginas que chegaram a ti, porém, sempre julgando-as dentro dos preceitos do Cristo. É preciso que do Alto mereçamos as bênçãos para que elas possam chegar, puras, até nós;

  8. Quando a doença física te debilitar o corpo material, usa dos recursos em que a ordem te venha do Alto a dizer-te se estás ou não capacitado para os trabalhos do Senhor naquele dia, pois Jesus não nos exige holocaustos. É preciso que guardemos, às vezes, a matéria para servir melhor amanhã;

  9. Não te envaideças com as novas posições que fores galgando no caminho. A tendência é, e será sempre, subir, para todos aqueles que se dispõem a servir ao Senhor. Porém, usa da tua autoridade com calma e com acerto, unindo firmeza e brandura a se mesclarem num equilíbrio ideal para não humilhares os companheiros que estavam lado a lado contigo, mas que agora irás conduzir;

  10. Enfim, entrega-te serenamente aos desígnios dos superiores, pois quem não sabe obedecer, jamais poderá ser líder. O mando, sabes, é condição de júbilo se o atravessamos amorosamente a servir. Sejas o exemplo, humilhando-te, às vezes, para que do Alto te venha a certeza de que segues o Cristo integralmente. A paz de Deus esteja com todo aquele que conseguir diminuir-se para subirem mais servos ao Senhor".

Jesus vos abençoe, hoje e sempre. Do amigo e irmão,

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 08, de outubro e novembro de 1966)

Voltar ao topo

DE BRAÇOS ABERTOS

Imagem do Cristo Redentor, RJ "Irmãos em Jesus: A graça do Senhor se faça sempre presente em seus corações, principalmente quando em serviço de caridade.

Lembrem-se de que todos vocês são, em trabalho, os enfermeiros do Alto, quer onde a tarefa seja de curar corpos, quer onde o serviço consista do aliviar e acalmar os Espíritos perturbados, que não buscaram ainda a paz do Senhor, para lhes orientar a caminhada.

Todos quantos procuram as casas espíritas esperam cordial acolhida, constante atenção e atendimento fraterno. Quem procura o Espiritismo é porque, geralmente, trás consigo sofrimentos morais ou dores físicas. Deve, pois, receber, dos que ali estejam em trabalho, boa-vontade e não indiferença; paciência e não irritação; carinho, em vez de recepção impaciente.

Ninguém recebe um irmão de cara fechada, mas com a face iluminada por fraternal sorriso. Às vezes, precisamos fazer maior sacrifício, escondendo os nossos problemas no coração do Cristo e enxugando nossas lágrimas no seu manto de misericórdia e amor, para que os irmãos que procuram a casa espírita fiquem encorajados, pois devemos recebê-los sempre como Jesus os receberia: com os braços abertos e bondoso sorriso nos lábios. Caridade não é favor: é dever.

Esta é a orientação que devem seguir aqueles que pretendam contatos cada vez mais perfeitos com o Plano Superior da Espiritualidade. Que o Senhor a todos ilumine e se multipliquem as bênçãos do Alto para que se repitam as vitórias no caminho do Mestre. Jesus a todos abençoe".

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 10, de fevereiro / março de 1967)

Voltar ao topo

AJUDA-NOS A TE SERVIR

Mãos que oferecem ao outro um coraçãoQuando tu te achegares, querido Irmão, a estas casas de amor e caridade que o Cristo, mísericórdiamente, distribui pelo mundo, iembra-te de que são fccos de luz que, do Alto, o Pai permite, amorosamente, ao Mestre excelso, colocar a nosso alcance, para encontrarmos o equilíbrio espiritual e a saúde dos corpos, no resgate de débitos reencarnatórios.

Acautela teus pensamentos dentro destes templos do bem. Não permitas jamais que tuas dúvidas mundanas te sigam, pois é a oportunidade divina que em nós renova células e mente para um progresso maior na estrada.

Almeja acertar, do fundo do teu coração. Renova-te. Dá aos que, como nós, humildemente, labutam no trabalho da caridade do Cristo, maior campo de ação, sobre cabeças concentradas em fervoroso louvor a Jesus.

Creia: facilitarás muito, para ti mesmo, o que, aqui ou em outra Casa do Cordeiro, fores buscar.

Paz e amor.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 11, de abril/maio de 1967)

Voltar ao topo

PAZ INTERIOR

Foto de flor flutuando na águaA paz de nossa consciência depende do que pensamos e fazemos na vida cotidiana. O que o Mestre põe a nosso alcance, no turbilhão do mundo, somente será alcançado quando compreendermos que só o caminho das ações corretas nos levará a adquirír a tranquilidade íntima. Isto significará a nossa própria purificação pela reforma interior. O bem servir ao próximo e o cuidado de não claudicar no curso da existência terrena, nos levarão até Deus, pelo caminho óo Cristo.

Na composição das nossos reencarnações, procuremos aprimorar as qualidades do nosso caráter e a nos defendermos de erros antigos, evitando reincidir, a fim de não agravarmos as provas dolorosas de amanhã, as quais não terminarão senão quando adquirirmos perfeito entendimento dos nossos deveres para com aqueles que conosco terão de resgatar faltas antigas. A misericórdia do Pai nos ajudará a suportar as dores cármicas e nos irá empurrando para a frente, através dos exemplos que nos deixam os missionários do bem, em abnegadas reencarnações, para conduzirem a humanidade pela rota segura do verdadeiro amor.

A paz inferior é o perfeito encontro com Jesus, que nos mostra, através do seu Evangelho, toda a luminosa grandeza de Deus, o Seu Amor, a Sua Verdade e com ela a Vida Eterna de nosso Espíritos.

Encontremo-nos sempre dispostos a estar com Jesus nos serviços diários, quer nos nossos compromissos de ordem material, quer nas tarefas espirituais, e mais fácil será a nossa jornada para um amanhã mais feliz.

Paz e amor.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 13, de agosto / setembro de 1967)

Voltar ao topo

ORIENTAÇÃO E RESPONSABILIDADE

Foto de suporte de  broto de árvoreA Natureza nos aponta o rumo certo para a realização dos nossos deveres e obrigações. Os botões das flores entreabrem na primavera, dando aos beija-flores o ensejo de colher cedo o néctar puro e doce que os atrai. As criaturas humanas também devem começar cedo o seu trabalho na Seara do Cristo. É sempre melhor proceder assim, porque ao atingir o Inverno da vida já estarão fortes e aptos para transpor a barreira da morte, reingressando na verdadeira vida depois de haver cumprido bem sua trajeária terrena. Portanto, será bom orientarmos e estimularmos os jovens com conselhos e livros adequados, mas, acima de tudo, com a força do bom exemplo, que produzirá muito mais. Despertá-los e alertá-los quanto aos perigos do mundo, disfarçados de seduções inúmeras, que os arrastam para atalhos tortuosos, poderá muitas vezes ser tentativa tardia.

O cuidado de preparar os jovens desde cedo para compreenderem a razão da vida e os obstáculos que a todos esperam, será a melhor providência. Desse modo, despertando os bons sentimentos que os jovens possuem e considerando a bagagem espiritual que trazem de outras encarnações, o trabalho de evangelização adequado, com os esclarecimentos racionais que a Doutrina oferece, conseguirá instruí-los e selecioná-los para a realização de uma vida honesta e útil a si mesmos e aos seus semelhantes. Aprenderão a compreender a vida e a interpretar os fatos da existência superiormente, segundo a filosofia cristã espirita, com esclarecida tolerância, fraternidade espontânea e vontade de servir por amor ao Cristo.

Jesus aprova os lares em que se realiza com normalidade o culto e o estudo do Evangelho, pois tal prática ratifica as primeiras reuniões em que Ele, o Mestre amado, trazia e explicava a palavra do Pai, transmitindo-a a humildes trabalhadores e a mulheres com crianças ao colo.

Quando um ser é bem orientado e compreende a responsabilidade que tem na nova vida terrena que recebeu, o Pai se alegra, porque as sementes do bem germinarão depressa e darão frutos excelentes, sempre, evidentemente, que o terreno estiver adubado pelas lições da Doutrina espirita à luz do Evangelho em Espírito e Verdade.

Paz e amor.

IGNACIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 16, de fevereiro / março de 1968)

Voltar ao topo

EM BUSCA DA PAZ INTERIOR

pomba voando sobre mar azulNa excelência dos nossos atos é que encontramos a paz de nossas consciências. O que Jesus nos permite alcançar no turbilhão do mundo, somente achamos quando descobrimos o caminho das ações corretas que nos leva à tranquilidade interior. Isto nada mais é do que a nossa purificação e reforma íntima, o despertar em nós de um novo modo de encarar a vida, uma maneira mais cristã de viver, amparando-se em orações sinceras e cultivando o «bem servir» ao próximo, que é servir ao Cristo de Deus.

Na composição das nossas reencarnações, procuramos aprimorar as qualidades que temos, eliminando progressivamente nossas imperfeições, defendendo-nos de hábitos e erros antigos, a fim de evitar o agravamento de dolorosas provas no presente e no futuro, provas e provocações que não acabarão senão quando nos aperfeiçoarmos, alcançando perfeito entendimento com aqueles que conosco terão oportunidades para novos resgates. A misericórdia do Pai nos vai acordando nas dores educativas e nos empurrando para a frente, através dos exemplos dos missionários em abnegadas reencarnações, que conduzem a humanidade à rota segura do verdadeiro Amor.

A paz interior revela o perfeito encontro com Jesus, o Mestre amado, que, através do seu Evangelho, nos mostra o Pai e Sua misericórdia, Sua verdade e a vida eterna de nossos Espíritos.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 18, de junho / julho de 1968)

Voltar ao topo

A CARIDADE PERANTE JESUS

foto de uma mão oferecendo uma florDar sem pretender receber do Alto a menor recompensa é que estabelece no Espírito o equilíbrio da verdadeira caridade. Quem dá apenas porque espera ser beneficiado de qualquer maneira, falta ao verdadeiro espírito da caridade. A constante das preces indicando que as boas obras serão sempre recompensadas por Deus, deve antes servir apenas de incentivo para a corrigenda dos nossos erros no trato com os irmãos de peregrinação terrena, nunca, porém, como estímulo à nossa cobiça para alcançar postos mais elevados na Espiritualidade.

Aquele que age com tal sentimento, perde o ensejo de trabalhar pelo próprio progresso espiritual, deixando de favorecer a sua trajetória evolutiva, porque não dá de si os melhores fluidos, que são os oriundos do verdadeiro amor cristão.

Irmâos: os verdadeiros discípulos de Jesus são aqueles que trabalham esquecidos do salário, aqueles que se empolgam pela obra, a ela se dedicando de coração, sem mentalizar a troca de favores do Alto. Sim, os verdadeiros obreiros de Deus são os que ajudam por amor, os que dão ao Cristo a alegria de nos ver realizar espontãneamente as nossas tarefas, porque somente assim poderemos elevar ao Pai os nossos Espíritos, muitas vezes mais necessitados do que o do próximo.

Paz e Amor.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 19, de Agosto/Setembro de 1968)

Voltar ao topo

A LUZ E A CANDEIA

"Teu olho é a lâmpada do teu corpo; se teu olho é simples, todo o teu corpo será luzente; mas, se for mau, todo o teu corpo será tenebroso. Toma, pois, cuidado: não seja treva a luz que está em ti. Se, portanto, todo o teu corpo for luminoso, sem que haja nele parte alguma tenebrosa, todo ele luzirá e te iluminará, qual se fora brilhante lâmpada". (Lc.11: 34-35)

Candeia acesa em meio à escuridãoNos caminhos do mundo, a jornada que se antevê, cheia de dolorosos revides entre os homens, deve ser equilibrada pelo esforço e as preces constantes. O grupo crístico escolhido para exemplificar e despertar do turbilhão das dores, à humanidade inquieta, precisa continuar a dar, em obras e palavras, o grande testemunho, visando à reabilitação que tantos Espíritos almejam e terão que alcançar um dia, na renovação suprema.

Diante da escuridão, o pequenino foco de uma candeia, é luz que nos levará ao roteiro certo, ao porvir esplendoroso. Entretanto, se fossem em muito maior número as pequeninas luzes sobre o mundo, a humanidade teria maior facilidade para caminhar em busca da paz que tanto deseja.

Do Mais Alto, Jesus permite, contudo, ajuda aos que, presos à matéria, percorrem as árduas estradas da Terra... Mas é indispensável que estejam convosco as candeias da fé sincera, para que o Caminho do Cristo surja livre, desembaraçado e puro diante de vós.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 20, de outubro/novembro de 1968)

Voltar ao topo

SERVINDO AO MESTRE

ilustração de mãos semeandoQuando irmãos caminham juntos na estrada de Jesus, realmente imbuídos dos verdadeiros preceitos do Cristo, forma-se logo precioso templo para recebe-los e estimular sua boa vontade. O Mestre alegra-se e do Alto descem fachos de luminosa bênção, envolvendo-lhes os Espíritos e fortalecendo-lhes a personalidade no bem e no amor cristão.

Segui, irmãos, pois de vossa vontade progressista virá a força construtora que trará, amanhã, para junto do Cristo, muitos daqueles que desejam encontrar o caminho certo. Por vossa palavra esclarecedora, irmãos perdidos ou indecisos se afastarão das tentações do mundo e reencontrarão a verdade. E pequeninos olhos infantis se tornarão mais brilhantes de reconhecimento, abençoando as mãos devotadas ao serviço do bem.

Amigos espirituais em número cada vez maior vos auxiliarão em tarefas de socorro e pregão, e Jesus terá para vós a atenção incentivadora dos que se empenham em trabalhar pelo enriquecimento moral das criaturas.

Em silêncio ante os elogios que às vezes perturbam e prejudicam, ouvireis tocantes frases que não poderão tornar-vos vaidosos, pois caminhareis com segurança para o Cristo, em trabalho regenerativo. Sabeis que, antes, é do vosso dever agradecer a oportunidade de vos refazerdes dos erros do passado. Cabeças erguidas, mãos humildes e coração em prece, sejam as vossas atitudes, e cada rosa de amor que distribuirdes ao próximo, será uma oferenda que fareis ao Pai Todo Misericordioso, com a vossa fé e a vossa determinação de constante elevacão espiritual.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 21, de dezembro 1968 / janeiro 1969)

Voltar ao topo

MENSAGEM À JUVENTUDE

Foto de Malala-Yousafzai, a jovem ativista paquistanesa, que tem hoje 22 anos e é grande exemplo de ativismo jovemPaz ao Espírito que procura acertar, antes que o tempo aprazado se lhe escape por entre os dedos. À medida que o desgaste da matéria for acautelando os passos, mais difícil se vai tornando a jornada. Portanto, oh jovens de hoje, que ao compasso dos ventos deixais que os dias da mocidade se percam em prazeres mundanos. Parai para lembrar Jesus, antes que o peso dos anos vos desperte e acordeis desesperados diante da dor provocada pelo irremediável.

Refleti, jovens. Ponderai sobre a hora que passa e pesai o rumo que deveis adotar, porque rogos e lamentos sempre sobem tardios a Jesus e o Mestre, em virtude da sua misericórdia, busca amparar os que se desviaram da boa senda. Nem sempre, porém, todos encontram ainda a oportunidade do reequilíbrio e terão de recomeçar um dia o trabalho desperdiçado. Outras reencarnações virão e com ela novos rogos, se reincidirem no erro e não despertarem a tempo de realizar um esforço recuperatório.

Por enquanto, jovens, as energias da juventude vos animam à caminhada. Erguei vossas mãos para servir. Sereis felizes quando puderes, com os olhos brilhantes da alegria, alegrar os vossos doentes e velhos, fazendo com que eles sintam na alma lampejos de esperança e, assim, podereis regozijar-vos no Senhor. Ele vos oferece a serenidade da consciência e a paz do Espírito. Não deixeis que os dias ditosos para vós se percam e passem despercebidos, para que não venhais a chorar na sombra da noite que termina, povoando-a dos fantasmas das lamentações inúteis.

Juventude espírita cristã! O mundo aguarda o vosso trabalho de esclarecimento dos vossos irmãos. Despertai-os, porque o Cristo continua esperando de vossas mãos a ajuda a outros jovens que precisam de luz na estrada escura que estão palmilhando. Iluminai-os com o vosso entusiasmo, como entusiasmo que promana de Jesus, a “Luz do Mundo”.

Paz em vossos corações e serenidade em vossa mente, para que estejais sempre com o amor sacrossanto do Pai.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 22, fevereiro-março de 1969)

Voltar ao topo

RECADO ÍNTIMO

Irmão,

Retrato de Ignácio BittencourtPor que te deixares levar pelas preocupações do mundo? Por que inutilizares um dia de trabalho renovador para ti mesmo e para os que de ti se acercam?

Guarda tempo, sim, para meditares em teus problemas e responsabilidades, mas não te absorvas neles, pois teu Espírito prisioneiro das coisas materiais seria presa fácil de irmãos inferiores, que se aproveitariam do teu afastamento do Cristo, para te induzirem,cada vez mais, ao exclusivismo da vida terrena.

Precioso é o tempo para cada um nestas jornadas reencarnatórias e as lutas diárias, como as provas cheias de dificuldades, são motivos de aprimoramento e aprendizado. Entretanto, para bem atravessarmos os obstáculos, preciso se torna estar alerta, com o Espírito vigilante, não se esquecendo de que mesmo Jesus se recolhia ao Horto das Oliveiras para meditar e orar, haurindo do Pai as energias renovadoras e fortificadoras para vencer o mundo.

Quanto mais difícil for o teu roteiro, mais necessidade terás da firmeza e do equilíbrio que somente o Alto te poderá fornecer e que jamais encontrarás na luta de pensamentos sobre pensamentos que se tumultuam e a nada te conduzem.

Desperta, irmão. Desperta e lembra-te de que o fardo não é maior do que as nossas forças para suportá-lo e que não cai um fio de cabelo da tua cabeça sem que Deus o saiba. A indecisão estimula o desencorajamento, que enseja o desânimo. Faze por merecê-la e receberás na bênção do teu trabalho cristão espírita, construtivo e benéfico, a misericórdia do Pai e ajuda de muitos mensageiros que Ele permite venham ajudar os homens a vencer a si mesmos.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 25, setembro-outubro de 1969)

Voltar ao topo

CORAGEM E FÉ NA ADVERSIDADE

foto de homem observando paisagem de luz e trevasNa medida em que teu coração pulsar no bem e em que teus esforços se multiplicarem no amparo e assistência aos teus semelhantes, crescerão em teu redor rosas de luz e de bênçãos, que o Pai guardará para ti na Espiritualidade. Não é a justiça do Senhor perfeita e pura, que vê na medida exata o trabalho renovador de cada um? Quando nos atinge a dor, a prova que por vezes vem nos despertar o coração no sentido do reencontro mais íntimo com o Alto, devemos permanecer mais fortes, buscando suportar corajosamente a experiência, evitando sentimentalismo que ilude e enfraquece o moral, que estimula a tristeza e o desânimo. A atitude de fraqueza quando é preciso reação para superar a crise, não acrescenta nada ao imenso trabalho de recuperação que nos cabe exemplificar.

É lastimável permanecer estático, em atitude de adoração, cultivando a dor e tentando angariar a piedade alheia. Com a dor nada se obterá, a não ser a comiseração dos que nos cercam. Todavia, a dor nos será útil, se a aproveitarmos como aprendizado, compreendendo o que poderá ela significar como instrumento de nossa melhoria espiritual. Se ao seu primeiro impacto mantivermos o ânimo e nos conservarmos despertos, sentiremos que recobramos forças e que nossa alma, mais viva, se dispõe a retomar a atividade, acelerando a recuperação. Se estás nesse caso, irmão, reergue tua cruz e põe as mãos ao trabalho, disposto a dobrar o esforço na caminhada.

Nada deve deter o roteiro dos que têm um objetivo maior e os grandes exemplos são espelhos a serem mirados, mas sem esquecer que a melhor e mais perfeita imagem, em que todas as outras são moldadas, é a do Mestre Jesus. Coração forte e legítima coragem constroem com fé e trabalho obras de amor e os que os possuem são escolhidos para servir ao Alto, sob grandes responsabilidades. Da união de vontades firmes, surge a força maior que nos levará à realização dos grandes desígnios do Pai.

Portanto, irmão, levanta a bandeira da fé e segue confiante, pois o estandarte é de paz e o coração que ostenta é o do Senhor.

IGNÁCIO BITTENCOURT

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 27, janeiro-fevereiro de 1970)

Voltar ao topo

A FUNÇÃO EDUCADORA DA DOR

Foto de metal passando pelo fogo da têmperaA jornada que teus pés cristãos esperam é a justa e pura, a que te conduzirá à paz, através do aprimoramento das tuas condições morais nas rudes dores da matéria e dos embates do espírito, a fim de que alcances o equilíbrio indispensável ao legitimo progresso na Terra.

É lamentável quando chegam ao Alto rogativas que pretendem o aumento de vantagens materiais dispensáveis ou a ajuda para dificuldades comuns que cada qual tem de encontrar na jornada terrena, para que realizem esforços pessoais para superá-las e, assim, adquiram o mérito que premeia a coragem e a decisão das almas valorosas.

Às vezes, em situações equívocas, uma só de tuas palavras poderia ter, com determinação e humildade, dissolvido mal entendidos entre irmãos, entre amigos, entre estranhos até ou esclarecido interpretações errôneas capazes de provocar dissentimentos belicosos.

Entretanto, se evitares uma intervenção conciliadora, por indiferença ou comodismo e apelares para o Alto, buscando o socorro assistencial de amigos espirituais, quando poderias, tu mesmo, ajudar a restabelecer cristãmente a harmonia, estarás fugindo à oportunidade de um serviço caridoso, pois também é caridade evitar que irmãos irrefletidos se choquem e se inimizem.

Mas há também as rogativas para aqueles que, doentes, em provas de grandes dores físicas, venham a desencarnar proximamente ou para pequenos desequilíbrios da matéria orgânica, que se resolveriam com a natural procura de regramento alimentar ou com o comportamento mais sereno, morigerado, cuidadoso, porque os Espíritos sempre cooperam para a conservação do corpo somático que o Pai dá ao homem, a fim de que cumpra os compromissos e responsabilidades que assumiu no exercício de seu livre-arbítrio.

É no sofrimento que o Espirito desperta. A estrada que Jesus nos ofereceu para a conquista de nossa redenção não é de rosas sem espinhos, como não foi a que Ele trilhou em sua passagem pela Terra, quando aqui veio, embora a excelsitude de seu Espirito, para mostrar ao homem que ninguém triunfa sem trabalho, ninguém se eleva sem sofrimento, ninguém se liberta dos males terrenos antes de haver se libertado das imperfeições que marcam a sua personalidade. Suas rogativas a Deus não eram para que as dificuldades deixassem de marcar o itinerário de Seus discípulos, mas para que fossem realmente sustentados na fé viva e na exemplificação do vero amor cristão, para que os obstáculos viessem a ser vencidos com esforço resignado, mas persistente, e aprimoramento moral constante.

Não afirmamos que os mensageiros do Cristo não devam ser chamados a intervir nas horas difíceis mas, para toda a humanidade, esses amados benfeitores da Espiritualidade poderão ser ainda mais úteis sempre que nos lembrarmos de que o Pai nos observa a todos, não nos desamparando jamais, dentro de admirável senso de justiça.

Que a tua fé, irmão, te conduza ao trabalho cristão e teu Espirito, vencendo as dificuldades da caminhada no mundo, se valorize cada vez mais em face de Deus.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, Ed. 28, Março-Abril de 1970)

Voltar ao topo

DESPERTAR

fotomontagem de olho feminino observando esferas terrestres ao seu redorIrmão: Quando a prece já houver penetrado o teu coração, terás despertado para a Verdade e sobre a tua cabeça descerá a luz da misericórdia do Cristo.

Na escuridão do sono profundo da ignorância vivem seres infelizes, que lutam com a voracidade de feras, estimulados por inimigos que em torno deles se aglomeram agitados, explorando-lhes os sentimentos inferiores e prolongando-lhes o sofrimento e a desorientação. Entretanto, quando no íntimo da criatura rebelde e recalcitrante nasce a força da compreensão esclarecedora, que pode levar à renovação íntima, se opera a eliminação do pesadelo em que o Espírito se acomodara, abrindo-se para ele um horizonte de esperanças confortantes.

Os que persistem na treva da ignorância das leis divinas, perdem precioso tempo para a recuperação e o reajuste que Deus concede a cada um através da reencarnação. A criatura humana é como a semente que jaz adormecida, fora do seio da Terra, à espera da água fecundante. Se permanece fora do seio de Deus, recusando o cumprimento da Lei, um dia, quando a Dor a vier regar, com as lágrimas do arrependimento, o germe do bem, esquecido em seu coração, brotará, e se dará então o milagre da transformação - da criatura recuperada em ser útil, tal como sucede à semente que se muda em planta e à planta que se torna árvore rica de seiva e de frutos abençoados.

Quando nosso Espírito desperta, descobrimos a compreensão, a paz, a necessidade de servir, e aceitamos a dor, não como um mal, mas como medicação heroica para a alma. E reencontramos a esperança.

O Mestre amado deixa que cada um encontre o seu momento de despertar. Todavia, preciso se torna que esse despertar seja o princípio de um grande trabalho de redenção cristã, trabalho que se pode traduzir em ajuda aos mais necessitados, em busca do reajuste em face dos próprios erros e em boa-vontade em se colocar ao serviço do Senhor, quer pela palavra e pelos atos, quer pelo sorriso convidativo ao exercício do bem, a fim de amparar com humildade e dedicação, tal como Aquele que passou pela Terra sereno, bondoso, prestativo, ensinando principalmente com o exemplo como podemos mudar para melhor o ritmo de nossas existências.

Irmãos: Jesus é o Caminho!

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 29, maio-junho de 1970)


Voltar ao topo

ALERTA

Irmão,

pomba branca em céu azulQuando surgir para ti o momento decisivo de transpor as portas da morte, que tipifica o reingresso na verdadeira vida, deves estar preparado para seguir viagem, livre de mágoas morais e de afetos excessivos, que te possam reter no plano material, e livre também do apego aos objetos que te serviram durante a permanência no ambiente terreno. Lembra-te, portanto, enquanto estás na Terra, que o teu destino não é permanecer nesse planeta que te serve de escola, a fim do adquirires, no aprendizado de todos os dias, sucessivas experiências e assim poderes alcançar, em planos muito mais elevados e de maior harmonia do que esse, conhecimentos valiosos para o teu aprimoramento espiritual.

Muitos se despedem da Terra cheios de saudades e presos a sentimentos e hábitos que de certo modo retardam sua libertação. Lembra-te, pois, do poder do Espírito infinito e do, quanto maior for a tua elevação, mais o compreenderás. Quando deixares atrás seres queridos de convivência amorosa, que muito te auxiliaram nas provas por que passaste, procura orar por eles, sentir a separação como breve período de afastamento, que teu amor cristão poderá vencer mais adiante e tornar a ajudá-los ainda melhor do que te tenham ajudado na vida terrena.

Quanto ao teu corpo e aos objetos de tua estima, que te foram dados pelo Pai para cumprires a atual encarnação. Respeita-os e agradece ao Alto tanta misericórdia, lembrando-te de que não te farão falta, porquanto, na Espiritualidade, viverás outra forma de vida. Ora mais uma vez, ora sempre mais, quando as preocupações com as dificuldades dos teus te afligirem e te tocarem os apelos dos que ficaram na Terra e não compreendem que passaste pela melindrosa situação do recém-liberto. Esquece os negócios e os problemas terrenos, entende as provas dos que remanesceram no mundo terreno, pois este continuará sua trajetória comum, com as preocupações a ele inerentes. Compreende que, então, somente tu foste chamado à Espiritualidade, mas que todos terão a sua vez de prestar contas do que realizaram na Terra.

Lembrando-te de que sobre tudo e todos está a mão de Deus, terás mais tranquilidade para seguir adiante, sereno e feliz por cumprir uma nova etapa da trajetória que te foi destinada e alegre porque terás encargos novos no Além. Lembra-te por fim, Espírito irmão, de que teu objetivo, como o de todos, é progredir sempre, evoluindo paulatinamente, pois é infinita a sabedoria de Deus.

Nota: Esta mensagem foi psicografada na Casa de Recuperação e Benefícios Bezerra de Menezes, na terça-feira, 22 de julho de 1969, último dia de trabalho do nosso irmão Azamôr Serrão.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 30, julho-agosto de 1970)

Voltar ao topo

APRENDE A SER CRISTÃO

Foto dos pés de um homem de sandálias caminhando no desertoTua jornada é longa, mas tuas dores também o são. Se estás seguindo Jesus, como pretendes ter o caminho mais fácil? É vergado sob o peso das dores que o cristão prossegue e não deseja parar, a fim de que seu tempo não se perca em inutilidades e inconsequências.

Segue serenamente, mas lembra-te de Jesus quando teus ombros doerem ou quando sangrarem teus pés nas asperezas do caminho. Foi assim que o Mestre caminhou. Quem desejar segui-lo, não poderá vê-lo somente nas bodas de Caná ou a orar no horto. Deve ter plena consciência do rumo escolhido e sentir a responsabilidade do exemplo.

Não titubeie, irmão. Segue a estrada espreita, porque é a única que te poderá levar ao roteiro da luz e da paz. Dependerá de ti a vitória final. Jesus apenas ensina, porém jamais interfere para violar o livre arbítrio de cada um. Jesus te abençoe.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 31, setembro-outubro de 1970)

Voltar ao topo