Retrato de Bezerra de Menezes

Casa de Recuperação
e Benefícios
Bezerra de Menezes

Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade. - Allan Kardec

Estude o Esperanto,
o idioma universal da Paz!

Logo do Youtube

MENSAGENS DE IGNÁCIO BITTENCOURT

PARA SABER MAIS SOBRE A VIDA E OBRA DESSE GRANDE SEAREIRO DE NOSSO MOVIMENTO ACESSE NOSSA PÁGINA DE BIOGRAFIAS, SAL DA TERRA.

AOS MÉDIUNS EM TRABALHO

Foto de Inácio Bittencourt"Para que te unas à faixa do Senhor, observa estes preceitos, abrindo teu coração ao Mestre:

  1. Que nunca duvides de uma intuição. O bom médium já sabe sentir as vibrações de seu mentor a orientar-lhe os passos nos caminhos dúbios;

  2. Confia na assistência espiritual à qual te ligaste, entregando-te, confiante, a todos os trabalhos para que fores designado, com humildade, dando o que de ti tiveres de melhor;

  3. Que teu pensamento, na prece, busque as ligações do fio que te unirá ao Cristo, fugindo sempre a pedidos pessoais e entregando-te à oração silenciosa, sabendo desde já que, mais que tu, os vê o Senhor e, portanto, já te dará o que fizeres por merecer e que te for de benefício;

  4. Paciência para com os companheiros de reunião. Ajuda aos mais fracos de pensamento e ora pela fortaleza dos laços seguros dos superiores;

  5. Orienta, quando chegar a tua vez de falar, ciente de que és instrumento do Senhor aos ouvidos do público e, naquele momento, é por tua palavra que virão as mensagens do Alto;

  6. Prepara-te para receberes a assistência dos Orientadores Espirituais, purificando, definitvamente, teu corpo e teus pensamentos, não somente em dias de trabalho, mas sempre, para que não fiques à beira do caminho e sejas, cada vez mais, veículo de expressões de amigos de alta espiritualidade;

  7. Confia nas orientações das páginas que chegaram a ti, porém, sempre julgando-as dentro dos preceitos do Cristo. É preciso que do Alto mereçamos as bênçãos para que elas possam chegar, puras, até nós;

  8. Quando a doença física te debilitar o corpo material, usa dos recursos em que a ordem te venha do Alto a dizer-te se estás ou não capacitado para os trabalhos do Senhor naquele dia, pois Jesus não nos exige holocaustos. É preciso que guardemos, às vezes, a matéria para servir melhor amanhã;

  9. Não te envaideças com as novas posições que fores galgando no caminho. A tendência é, e será sempre, subir, para todos aqueles que se dispõem a servir ao Senhor. Porém, usa da tua autoridade com calma e com acerto, unindo firmeza e brandura a se mesclarem num equilíbrio ideal para não humilhares os companheiros que estavam lado a lado contigo, mas que agora irás conduzir;

  10. Enfim, entrega-te serenamente aos desígnios dos superiores, pois quem não sabe obedecer, jamais poderá ser líder. O mando, sabes, é condição de júbilo se o atravessamos amorosamente a servir. Sejas o exemplo, humilhando-te, às vezes, para que do Alto te venha a certeza de que segues o Cristo integralmente. A paz de Deus esteja com todo aquele que conseguir diminuir-se para subirem mais servos ao Senhor".

Jesus vos abençoe, hoje e sempre. Do amigo e irmão,

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 08, de outubro e novembro de 1966)

Voltar ao topo

DE BRAÇOS ABERTOS

Imagem do Cristo Redentor, RJ "Irmãos em Jesus: A graça do Senhor se faça sempre presente em seus corações, principalmente quando em serviço de caridade.

Lembrem-se de que todos vocês são, em trabalho, os enfermeiros do Alto, quer onde a tarefa seja de curar corpos, quer onde o serviço consista do aliviar e acalmar os Espíritos perturbados, que não buscaram ainda a paz do Senhor, para lhes orientar a caminhada.

Todos quantos procuram as casas espíritas esperam cordial acolhida, constante atenção e atendimento fraterno. Quem procura o Espiritismo é porque, geralmente, trás consigo sofrimentos morais ou dores físicas. Deve, pois, receber, dos que ali estejam em trabalho, boa-vontade e não indiferença; paciência e não irritação; carinho, em vez de recepção impaciente.

Ninguém recebe um irmão de cara fechada, mas com a face iluminada por fraternal sorriso. Às vezes, precisamos fazer maior sacrifício, escondendo os nossos problemas no coração do Cristo e enxugando nossas lágrimas no seu manto de misericórdia e amor, para que os irmãos que procuram a casa espírita fiquem encorajados, pois devemos recebê-los sempre como Jesus os receberia: com os braços abertos e bondoso sorriso nos lábios. Caridade não é favor: é dever.

Esta é a orientação que devem seguir aqueles que pretendam contatos cada vez mais perfeitos com o Plano Superior da Espiritualidade. Que o Senhor a todos ilumine e se multipliquem as bênçãos do Alto para que se repitam as vitórias no caminho do Mestre. Jesus a todos abençoe".

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 10, de fevereiro / março de 1967)

Voltar ao topo

AJUDA-NOS A TE SERVIR

Mãos que oferecem ao outro um coraçãoQuando tu te achegares, querido Irmão, a estas casas de amor e caridade que o Cristo, mísericórdiamente, distribui pelo mundo, iembra-te de que são fccos de luz que, do Alto, o Pai permite, amorosamente, ao Mestre excelso, colocar a nosso alcance, para encontrarmos o equilíbrio espiritual e a saúde dos corpos, no resgate de débitos reencarnatórios.

Acautela teus pensamentos dentro destes templos do bem. Não permitas jamais que tuas dúvidas mundanas te sigam, pois é a oportunidade divina que em nós renova células e mente para um progresso maior na estrada.

Almeja acertar, do fundo do teu coração. Renova-te. Dá aos que, como nós, humildemente, labutam no trabalho da caridade do Cristo, maior campo de ação, sobre cabeças concentradas em fervoroso louvor a Jesus.

Creia: facilitarás muito, para ti mesmo, o que, aqui ou em outra Casa do Cordeiro, fores buscar.

Paz e amor.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 11, de abril/maio de 1967)

Voltar ao topo

PAZ INTERIOR

Foto de flor flutuando na águaA paz de nossa consciência depende do que pensamos e fazemos na vida cotidiana. O que o Mestre põe a nosso alcance, no turbilhão do mundo, somente será alcançado quando compreendermos que só o caminho das ações corretas nos levará a adquirír a tranquilidade íntima. Isto significará a nossa própria purificação pela reforma interior. O bem servir ao próximo e o cuidado de não claudicar no curso da existência terrena, nos levarão até Deus, pelo caminho óo Cristo.

Na composição das nossos reencarnações, procuremos aprimorar as qualidades do nosso caráter e a nos defendermos de erros antigos, evitando reincidir, a fim de não agravarmos as provas dolorosas de amanhã, as quais não terminarão senão quando adquirirmos perfeito entendimento dos nossos deveres para com aqueles que conosco terão de resgatar faltas antigas. A misericórdia do Pai nos ajudará a suportar as dores cármicas e nos irá empurrando para a frente, através dos exemplos que nos deixam os missionários do bem, em abnegadas reencarnações, para conduzirem a humanidade pela rota segura do verdadeiro amor.

A paz inferior é o perfeito encontro com Jesus, que nos mostra, através do seu Evangelho, toda a luminosa grandeza de Deus, o Seu Amor, a Sua Verdade e com ela a Vida Eterna de nosso Espíritos.

Encontremo-nos sempre dispostos a estar com Jesus nos serviços diários, quer nos nossos compromissos de ordem material, quer nas tarefas espirituais, e mais fácil será a nossa jornada para um amanhã mais feliz.

Paz e amor.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 13, de agosto / setembro de 1967)

Voltar ao topo

ORIENTAÇÃO E RESPONSABILIDADE

Foto de suporte de  broto de árvoreA Natureza nos aponta o rumo certo para a realização dos nossos deveres e obrigações. Os botões das flores entreabrem na primavera, dando aos beija-flores o ensejo de colher cedo o néctar puro e doce que os atrai. As criaturas humanas também devem começar cedo o seu trabalho na Seara do Cristo. É sempre melhor proceder assim, porque ao atingir o Inverno da vida já estarão fortes e aptos para transpor a barreira da morte, reingressando na verdadeira vida depois de haver cumprido bem sua trajeária terrena. Portanto, será bom orientarmos e estimularmos os jovens com conselhos e livros adequados, mas, acima de tudo, com a força do bom exemplo, que produzirá muito mais. Despertá-los e alertá-los quanto aos perigos do mundo, disfarçados de seduções inúmeras, que os arrastam para atalhos tortuosos, poderá muitas vezes ser tentativa tardia.

O cuidado de preparar os jovens desde cedo para compreenderem a razão da vida e os obstáculos que a todos esperam, será a melhor providência. Desse modo, despertando os bons sentimentos que os jovens possuem e considerando a bagagem espiritual que trazem de outras encarnações, o trabalho de evangelização adequado, com os esclarecimentos racionais que a Doutrina oferece, conseguirá instruí-los e selecioná-los para a realização de uma vida honesta e útil a si mesmos e aos seus semelhantes. Aprenderão a compreender a vida e a interpretar os fatos da existência superiormente, segundo a filosofia cristã espirita, com esclarecida tolerância, fraternidade espontânea e vontade de servir por amor ao Cristo.

Jesus aprova os lares em que se realiza com normalidade o culto e o estudo do Evangelho, pois tal prática ratifica as primeiras reuniões em que Ele, o Mestre amado, trazia e explicava a palavra do Pai, transmitindo-a a humildes trabalhadores e a mulheres com crianças ao colo.

Quando um ser é bem orientado e compreende a responsabilidade que tem na nova vida terrena que recebeu, o Pai se alegra, porque as sementes do bem germinarão depressa e darão frutos excelentes, sempre, evidentemente, que o terreno estiver adubado pelas lições da Doutrina espirita à luz do Evangelho em Espírito e Verdade.

Paz e amor.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 16, de fevereiro / março de 1968)

Voltar ao topo

EM BUSCA DA PAZ INTERIOR

pomba voando sobre mar azulNa excelência dos nossos atos é que encontramos a paz de nossas consciências. O que Jesus nos permite alcançar no turbilhão do mundo, somente achamos quando descobrimos o caminho das ações corretas que nos leva à tranquilidade interior. Isto nada mais é do que a nossa purificação e reforma íntima, o despertar em nós de um novo modo de encarar a vida, uma maneira mais cristã de viver, amparando-se em orações sinceras e cultivando o «bem servir» ao próximo, que é servir ao Cristo de Deus.

Na composição das nossas reencarnações, procuramos aprimorar as qualidades que temos, eliminando progressivamente nossas imperfeições, defendendo-nos de hábitos e erros antigos, a fim de evitar o agravamento de dolorosas provas no presente e no futuro, provas e provocações que não acabarão senão quando nos aperfeiçoarmos, alcançando perfeito entendimento com aqueles que conosco terão oportunidades para novos resgates. A misericórdia do Pai nos vai acordando nas dores educativas e nos empurrando para a frente, através dos exemplos dos missionários em abnegadas reencarnações, que conduzem a humanidade à rota segura do verdadeiro Amor.

A paz interior revela o perfeito encontro com Jesus, o Mestre amado, que, através do seu Evangelho, nos mostra o Pai e Sua misericórdia, Sua verdade e a vida eterna de nossos Espíritos.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 18, de junho / julho de 1968)

Voltar ao topo

A CARIDADE PERANTE JESUS

foto de uma mão oferecendo uma florDar sem pretender receber do Alto a menor recompensa é que estabelece no Espírito o equilíbrio da verdadeira caridade. Quem dá apenas porque espera ser beneficiado de qualquer maneira, falta ao verdadeiro espírito da caridade. A constante das preces indicando que as boas obras serão sempre recompensadas por Deus, deve antes servir apenas de incentivo para a corrigenda dos nossos erros no trato com os irmãos de peregrinação terrena, nunca, porém, como estímulo à nossa cobiça para alcançar postos mais elevados na Espiritualidade.

Aquele que age com tal sentimento, perde o ensejo de trabalhar pelo próprio progresso espiritual, deixando de favorecer a sua trajetória evolutiva, porque não dá de si os melhores fluidos, que são os oriundos do verdadeiro amor cristão.

Irmâos: os verdadeiros discípulos de Jesus são aqueles que trabalham esquecidos do salário, aqueles que se empolgam pela obra, a ela se dedicando de coração, sem mentalizar a troca de favores do Alto. Sim, os verdadeiros obreiros de Deus são os que ajudam por amor, os que dão ao Cristo a alegria de nos ver realizar espontãneamente as nossas tarefas, porque somente assim poderemos elevar ao Pai os nossos Espíritos, muitas vezes mais necessitados do que o do próximo.

Paz e Amor.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 19, de Agosto/Setembro de 1968)

Voltar ao topo

A LUZ E A CANDEIA

"Teu olho é a lâmpada do teu corpo; se teu olho é simples, todo o teu corpo será luzente; mas, se for mau, todo o teu corpo será tenebroso. Toma, pois, cuidado: não seja treva a luz que está em ti. Se, portanto, todo o teu corpo for luminoso, sem que haja nele parte alguma tenebrosa, todo ele luzirá e te iluminará, qual se fora brilhante lâmpada". (Lc.11: 34-35)

Candeia acesa em meio à escuridãoNos caminhos do mundo, a jornada que se antevê, cheia de dolorosos revides entre os homens, deve ser equilibrada pelo esforço e as preces constantes. O grupo crístico escolhido para exemplificar e despertar do turbilhão das dores, à humanidade inquieta, precisa continuar a dar, em obras e palavras, o grande testemunho, visando à reabilitação que tantos Espíritos almejam e terão que alcançar um dia, na renovação suprema.

Diante da escuridão, o pequenino foco de uma candeia, é luz que nos levará ao roteiro certo, ao porvir esplendoroso. Entretanto, se fossem em muito maior número as pequeninas luzes sobre o mundo, a humanidade teria maior facilidade para caminhar em busca da paz que tanto deseja.

Do Mais Alto, Jesus permite, contudo, ajuda aos que, presos à matéria, percorrem as árduas estradas da Terra... Mas é indispensável que estejam convosco as candeias da fé sincera, para que o Caminho do Cristo surja livre, desembaraçado e puro diante de vós.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 20, de outubro/novembro de 1968)

Voltar ao topo

SERVINDO AO MESTRE

ilustração de mãos semeandoQuando irmãos caminham juntos na estrada de Jesus, realmente imbuídos dos verdadeiros preceitos do Cristo, forma-se logo precioso templo para recebe-los e estimular sua boa vontade. O Mestre alegra-se e do Alto descem fachos de luminosa bênção, envolvendo-lhes os Espíritos e fortalecendo-lhes a personalidade no bem e no amor cristão.

Segui, irmãos, pois de vossa vontade progressista virá a força construtora que trará, amanhã, para junto do Cristo, muitos daqueles que desejam encontrar o caminho certo. Por vossa palavra esclarecedora, irmãos perdidos ou indecisos se afastarão das tentações do mundo e reencontrarão a verdade. E pequeninos olhos infantis se tornarão mais brilhantes de reconhecimento, abençoando as mãos devotadas ao serviço do bem.

Amigos espirituais em número cada vez maior vos auxiliarão em tarefas de socorro e pregão, e Jesus terá para vós a atenção incentivadora dos que se empenham em trabalhar pelo enriquecimento moral das criaturas.

Em silêncio ante os elogios que às vezes perturbam e prejudicam, ouvireis tocantes frases que não poderão tornar-vos vaidosos, pois caminhareis com segurança para o Cristo, em trabalho regenerativo. Sabeis que, antes, é do vosso dever agradecer a oportunidade de vos refazerdes dos erros do passado. Cabeças erguidas, mãos humildes e coração em prece, sejam as vossas atitudes, e cada rosa de amor que distribuirdes ao próximo, será uma oferenda que fareis ao Pai Todo Misericordioso, com a vossa fé e a vossa determinação de constante elevacão espiritual.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 21, de dezembro 1968 / janeiro 1969)

Voltar ao topo

MENSAGEM À JUVENTUDE

Foto de Malala-Yousafzai, a jovem ativista paquistanesa, que tem hoje 22 anos e é grande exemplo de ativismo jovemPaz ao Espírito que procura acertar, antes que o tempo aprazado se lhe escape por entre os dedos. À medida que o desgaste da matéria for acautelando os passos, mais difícil se vai tornando a jornada. Portanto, oh, jovens de hoje, que ao compasso dos ventos deixais que os dias da mocidade se percam em prazeres mundanos, parai para lembrar Jesus, antes que o peso dos anos vos desperte e acordeis desesperados diante da dor provocada pelo irremediável.

Refleti, jovens. Ponderai sobre a hora que passa e pesai o rumo que deveis adotar, porque rogos e lamentos sempre sobem tardios a Jesus e o Mestre, em virtude da sua misericórdia, busca amparar os que se desviaram da boa senda. Nem sempre, porém, todos encontram ainda a oportunidade do reequilíbrio e terão de recomeçar um dia o trabalho desperdiçado. Outras reencarnações virão e com ela novos rogos, se reincidirem no erro e não despertarem a tempo de realizar um esforço recuperatório.

Por enquanto, jovens, as energias da juventude vos animam à caminhada. Erguei vossas mãos para servir. Sereis felizes quando puderes, com os olhos brilhantes da alegria, alegrar os vossos doentes e velhos, fazendo com que eles sintam na alma lampejos de esperança e, assim, podereis regozijar-vos no Senhor. Ele vos oferece a serenidade da consciência e a paz do Espírito. Não deixeis que os dias ditosos para vós se percam e passem despercebidos, para que não venhais a chorar na sombra da noite que termina, povoando-a dos fantasmas das lamentações inúteis.

Juventude espírita cristã! O mundo aguarda o vosso trabalho de esclarecimento dos vossos irmãos. Despertai-os, porque o Cristo continua esperando de vossas mãos a ajuda a outros jovens que precisam de luz na estrada escura que estão palmilhando. Iluminai-os com o vosso entusiasmo, como entusiasmo que promana de Jesus, a “Luz do Mundo”.

Paz em vossos corações e serenidade em vossa mente, para que estejais sempre com o amor sacrossanto do Pai.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 22, fevereiro-março de 1969)

Voltar ao topo

RECADO ÍNTIMO

Irmão,

Retrato de Ignácio BittencourtPor que te deixares levar pelas preocupações do mundo? Por que inutilizares um dia de trabalho renovador para ti mesmo e para os que de ti se acercam?

Guarda tempo, sim, para meditares em teus problemas e responsabilidades, mas não te absorvas neles, pois teu Espírito prisioneiro das coisas materiais seria presa fácil de irmãos inferiores, que se aproveitariam do teu afastamento do Cristo, para te induzirem,cada vez mais, ao exclusivismo da vida terrena.

Precioso é o tempo para cada um nestas jornadas reencarnatórias e as lutas diárias, como as provas cheias de dificuldades, são motivos de aprimoramento e aprendizado. Entretanto, para bem atravessarmos os obstáculos, preciso se torna estar alerta, com o Espírito vigilante, não se esquecendo de que mesmo Jesus se recolhia ao Horto das Oliveiras para meditar e orar, haurindo do Pai as energias renovadoras e fortificadoras para vencer o mundo.

Quanto mais difícil for o teu roteiro, mais necessidade terás da firmeza e do equilíbrio que somente o Alto te poderá fornecer e que jamais encontrarás na luta de pensamentos sobre pensamentos que se tumultuam e a nada te conduzem.

Desperta, irmão. Desperta e lembra-te de que o fardo não é maior do que as nossas forças para suportá-lo e que não cai um fio de cabelo da tua cabeça sem que Deus o saiba. A indecisão estimula o desencorajamento, que enseja o desânimo. Faze por merecê-la e receberás na bênção do teu trabalho cristão espírita, construtivo e benéfico, a misericórdia do Pai e ajuda de muitos mensageiros que Ele permite venham ajudar os homens a vencer a si mesmos.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 25, setembro-outubro de 1969)

Voltar ao topo

CORAGEM E FÉ NA ADVERSIDADE

foto de homem observando paisagem de luz e trevasNa medida em que teu coração pulsar no bem e em que teus esforços se multiplicarem no amparo e assistência aos teus semelhantes, crescerão em teu redor rosas de luz e de bênçãos, que o Pai guardará para ti na Espiritualidade. Não é a justiça do Senhor perfeita e pura, que vê na medida exata o trabalho renovador de cada um? Quando nos atinge a dor, a prova que por vezes vem nos despertar o coração no sentido do reencontro mais íntimo com o Alto, devemos permanecer mais fortes, buscando suportar corajosamente a experiência, evitando sentimentalismo que ilude e enfraquece o moral, que estimula a tristeza e o desânimo. A atitude de fraqueza quando é preciso reação para superar a crise, não acrescenta nada ao imenso trabalho de recuperação que nos cabe exemplificar.

É lastimável permanecer estático, em atitude de adoração, cultivando a dor e tentando angariar a piedade alheia. Com a dor nada se obterá, a não ser a comiseração dos que nos cercam. Todavia, a dor nos será útil, se a aproveitarmos como aprendizado, compreendendo o que poderá ela significar como instrumento de nossa melhoria espiritual. Se ao seu primeiro impacto mantivermos o ânimo e nos conservarmos despertos, sentiremos que recobramos forças e que nossa alma, mais viva, se dispõe a retomar a atividade, acelerando a recuperação. Se estás nesse caso, irmão, reergue tua cruz e põe as mãos ao trabalho, disposto a dobrar o esforço na caminhada.

Nada deve deter o roteiro dos que têm um objetivo maior e os grandes exemplos são espelhos a serem mirados, mas sem esquecer que a melhor e mais perfeita imagem, em que todas as outras são moldadas, é a do Mestre Jesus. Coração forte e legítima coragem constroem com fé e trabalho obras de amor e os que os possuem são escolhidos para servir ao Alto, sob grandes responsabilidades. Da união de vontades firmes, surge a força maior que nos levará à realização dos grandes desígnios do Pai.

Portanto, irmão, levanta a bandeira da fé e segue confiante, pois o estandarte é de paz e o coração que ostenta é o do Senhor.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida por Azamôr Serrão e originalmente publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 27, janeiro-fevereiro de 1970)

Voltar ao topo

A FUNÇÃO EDUCADORA DA DOR

Foto de metal passando pelo fogo da têmperaA jornada que teus pés cristãos esperam é a justa e pura, a que te conduzirá à paz, através do aprimoramento das tuas condições morais nas rudes dores da matéria e dos embates do espírito, a fim de que alcances o equilíbrio indispensável ao legitimo progresso na Terra.

É lamentável quando chegam ao Alto rogativas que pretendem o aumento de vantagens materiais dispensáveis ou a ajuda para dificuldades comuns que cada qual tem de encontrar na jornada terrena, para que realizem esforços pessoais para superá-las e, assim, adquiram o mérito que premeia a coragem e a decisão das almas valorosas.

Às vezes, em situações equívocas, uma só de tuas palavras poderia ter, com determinação e humildade, dissolvido mal entendidos entre irmãos, entre amigos, entre estranhos até ou esclarecido interpretações errôneas capazes de provocar dissentimentos belicosos.

Entretanto, se evitares uma intervenção conciliadora, por indiferença ou comodismo e apelares para o Alto, buscando o socorro assistencial de amigos espirituais, quando poderias, tu mesmo, ajudar a restabelecer cristãmente a harmonia, estarás fugindo à oportunidade de um serviço caridoso, pois também é caridade evitar que irmãos irrefletidos se choquem e se inimizem.

Mas há também as rogativas para aqueles que, doentes, em provas de grandes dores físicas, venham a desencarnar proximamente ou para pequenos desequilíbrios da matéria orgânica, que se resolveriam com a natural procura de regramento alimentar ou com o comportamento mais sereno, morigerado, cuidadoso, porque os Espíritos sempre cooperam para a conservação do corpo somático que o Pai dá ao homem, a fim de que cumpra os compromissos e responsabilidades que assumiu no exercício de seu livre-arbítrio.

É no sofrimento que o Espirito desperta. A estrada que Jesus nos ofereceu para a conquista de nossa redenção não é de rosas sem espinhos, como não foi a que Ele trilhou em sua passagem pela Terra, quando aqui veio, embora a excelsitude de seu Espirito, para mostrar ao homem que ninguém triunfa sem trabalho, ninguém se eleva sem sofrimento, ninguém se liberta dos males terrenos antes de haver se libertado das imperfeições que marcam a sua personalidade. Suas rogativas a Deus não eram para que as dificuldades deixassem de marcar o itinerário de Seus discípulos, mas para que fossem realmente sustentados na fé viva e na exemplificação do vero amor cristão, para que os obstáculos viessem a ser vencidos com esforço resignado, mas persistente, e aprimoramento moral constante.

Não afirmamos que os mensageiros do Cristo não devam ser chamados a intervir nas horas difíceis mas, para toda a humanidade, esses amados benfeitores da Espiritualidade poderão ser ainda mais úteis sempre que nos lembrarmos de que o Pai nos observa a todos, não nos desamparando jamais, dentro de admirável senso de justiça.

Que a tua fé, irmão, te conduza ao trabalho cristão e teu Espirito, vencendo as dificuldades da caminhada no mundo, se valorize cada vez mais em face de Deus.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, Ed. 28, Março-Abril de 1970)

Voltar ao topo

DESPERTAR

fotomontagem de olho feminino observando esferas terrestres ao seu redorIrmão: Quando a prece já houver penetrado o teu coração, terás despertado para a Verdade e sobre a tua cabeça descerá a luz da misericórdia do Cristo.

Na escuridão do sono profundo da ignorância vivem seres infelizes, que lutam com a voracidade de feras, estimulados por inimigos que em torno deles se aglomeram agitados, explorando-lhes os sentimentos inferiores e prolongando-lhes o sofrimento e a desorientação. Entretanto, quando no íntimo da criatura rebelde e recalcitrante nasce a força da compreensão esclarecedora, que pode levar à renovação íntima, se opera a eliminação do pesadelo em que o Espírito se acomodara, abrindo-se para ele um horizonte de esperanças confortantes.

Os que persistem na treva da ignorância das leis divinas, perdem precioso tempo para a recuperação e o reajuste que Deus concede a cada um através da reencarnação. A criatura humana é como a semente que jaz adormecida, fora do seio da Terra, à espera da água fecundante. Se permanece fora do seio de Deus, recusando o cumprimento da Lei, um dia, quando a Dor a vier regar, com as lágrimas do arrependimento, o germe do bem, esquecido em seu coração, brotará, e se dará então o milagre da transformação - da criatura recuperada em ser útil, tal como sucede à semente que se muda em planta e à planta que se torna árvore rica de seiva e de frutos abençoados.

Quando nosso Espírito desperta, descobrimos a compreensão, a paz, a necessidade de servir, e aceitamos a dor, não como um mal, mas como medicação heroica para a alma. E reencontramos a esperança.

O Mestre amado deixa que cada um encontre o seu momento de despertar. Todavia, preciso se torna que esse despertar seja o princípio de um grande trabalho de redenção cristã, trabalho que se pode traduzir em ajuda aos mais necessitados, em busca do reajuste em face dos próprios erros e em boa-vontade em se colocar ao serviço do Senhor, quer pela palavra e pelos atos, quer pelo sorriso convidativo ao exercício do bem, a fim de amparar com humildade e dedicação, tal como Aquele que passou pela Terra sereno, bondoso, prestativo, ensinando principalmente com o exemplo como podemos mudar para melhor o ritmo de nossas existências.

Irmãos: Jesus é o Caminho!

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 29, maio-junho de 1970)


Voltar ao topo

ALERTA

Irmão,

pomba branca em céu azulQuando surgir para ti o momento decisivo de transpor as portas da morte, que tipifica o reingresso na verdadeira vida, deves estar preparado para seguir viagem, livre de mágoas morais e de afetos excessivos, que te possam reter no plano material, e livre também do apego aos objetos que te serviram durante a permanência no ambiente terreno. Lembra-te, portanto, enquanto estás na Terra, que o teu destino não é permanecer nesse planeta que te serve de escola, a fim do adquirires, no aprendizado de todos os dias, sucessivas experiências e assim poderes alcançar, em planos muito mais elevados e de maior harmonia do que esse, conhecimentos valiosos para o teu aprimoramento espiritual.

Muitos se despedem da Terra cheios de saudades e presos a sentimentos e hábitos que de certo modo retardam sua libertação. Lembra-te, pois, do poder do Espírito infinito e do, quanto maior for a tua elevação, mais o compreenderás. Quando deixares atrás seres queridos de convivência amorosa, que muito te auxiliaram nas provas por que passaste, procura orar por eles, sentir a separação como breve período de afastamento, que teu amor cristão poderá vencer mais adiante e tornar a ajudá-los ainda melhor do que te tenham ajudado na vida terrena.

Quanto ao teu corpo e aos objetos de tua estima, que te foram dados pelo Pai para cumprires a atual encarnação. Respeita-os e agradece ao Alto tanta misericórdia, lembrando-te de que não te farão falta, porquanto, na Espiritualidade, viverás outra forma de vida. Ora mais uma vez, ora sempre mais, quando as preocupações com as dificuldades dos teus te afligirem e te tocarem os apelos dos que ficaram na Terra e não compreendem que passaste pela melindrosa situação do recém-liberto. Esquece os negócios e os problemas terrenos, entende as provas dos que remanesceram no mundo terreno, pois este continuará sua trajetória comum, com as preocupações a ele inerentes. Compreende que, então, somente tu foste chamado à Espiritualidade, mas que todos terão a sua vez de prestar contas do que realizaram na Terra.

Lembrando-te de que sobre tudo e todos está a mão de Deus, terás mais tranquilidade para seguir adiante, sereno e feliz por cumprir uma nova etapa da trajetória que te foi destinada e alegre porque terás encargos novos no Além. Lembra-te por fim, Espírito irmão, de que teu objetivo, como o de todos, é progredir sempre, evoluindo paulatinamente, pois é infinita a sabedoria de Deus.

Nota: Esta mensagem foi psicografada na Casa de Recuperação e Benefícios Bezerra de Menezes, na terça-feira, 22 de julho de 1969, último dia de trabalho do nosso irmão Azamôr Serrão.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 30, julho-agosto de 1970)

Voltar ao topo

APRENDE A SER CRISTÃO

Foto dos pés de um homem de sandálias caminhando no desertoTua jornada é longa, mas tuas dores também o são. Se estás seguindo Jesus, como pretendes ter o caminho mais fácil? É vergado sob o peso das dores que o cristão prossegue e não deseja parar, a fim de que seu tempo não se perca em inutilidades e inconsequências.

Segue serenamente, mas lembra-te de Jesus quando teus ombros doerem ou quando sangrarem teus pés nas asperezas do caminho. Foi assim que o Mestre caminhou. Quem desejar segui-lo, não poderá vê-lo somente nas bodas de Caná ou a orar no horto. Deve ter plena consciência do rumo escolhido e sentir a responsabilidade do exemplo.

Não titubeie, irmão. Segue a estrada espreita, porque é a única que te poderá levar ao roteiro da luz e da paz. Dependerá de ti a vitória final. Jesus apenas ensina, porém jamais interfere para violar o livre arbítrio de cada um. Jesus te abençoe.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 31, setembro-outubro de 1970)

Voltar ao topo

É TEMPO DE ACORDAR

Fotomontagem de relógio se desmaterializandoAcorda, irmão, enquanto a tua luta vai em meio por entre as tribulações da vida terrena. Até aqui, tens recebido ajuda. Agora, porém, caberá a ti ajudar. Tens recebido o ensinamento preciso. Por isso, agora, cabe a ti corporificar o ensinamento, vivê-lo e transmiti-lo a outrem, ajudando também. O bem é uma estrada estreita que conduz à pousada repousante e à paz ativa e edificante. O mal, que muitas vezes se enfeita e se abrilhanta, é uma estrada larga. Todavia, está dissimulado em ilusões perigosas que podem desviar-se da virtude.

Acorda, irmão. Medita um pouco. Faze um exame retrospectivo da vida que levaste ou estás levando até este momento. Pensa. Reflete. Concentra tuas forças construtivas e trabalha com Jesus. Se pudeste chegar até o hoje, se já mereceste tanta misericórdia do Alto, medita sobre o que tem recebido e o que já deste de ti.

É chegado o teu tempo de caminhar com maior firmeza e abnegação em favor de outros que precisam de ajuda. Pensa nas alegrias que nascem em nosso coração quando nos esforçamos pelo bem alheio. Aprende a meditar e pela meditação poderás renovar-te em tua trajetória, na trajetória que escolheste antes de renascer no mundo terreno, desejoso de realizar um esforço redentor. É preciso que cada um de nós retifique, corrija, dia a dia, o nosso comportamento. Fazer o bem é participar de uma sinfonia de bondade divina. Esforça-te para que as melodias do bem alegrem sempre um coração sofrente e que de tua boca saiam frases capazes de se transformarem em bálsamo para almas deprimidas pela tristeza e coagidas por preocupações constantes.

Acorda, irmão. Deixa de lado frustrados sonhos e usa tuas energias para servir. Repele os maus pensamentos, expulsa a maledicência e reúne teus esforços para exercer a boa-vontade em benefício dos teus semelhantes. Não busques elogios nem fales em teu favor. Deixa que teus atos falem por ti. Os aplausos do mundo pouco ou quase nada valem. O reconhecimento do Alto, porém, beneficiará muito o teu Espírito. Que a tua mão esquerda não saiba o que fizer a direita. O elogio ao teu trabalho virá de Jesus e sentirás, então, que o teu roteiro está certo. Não te julgues superior nem privilegiado. Recebe tudo com serenidade e confia ao Alto os teus pensamentos mais graves. Caminha com Jesus, o único que, sem tropeços, te levará a bom rumo, se te amparares no trabalho, na humildade e na fé. Tudo dependerá de ti. Exclusivamente.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 32, novembro-dezembro de 1970)

Voltar ao topo

COMPORTAMENTO DIANTE DA DOR

homem saltando de uma rocha a outraA vida humana não é um simples acidente biológico. Não. É um vasto campo de atividades concedido aos Espíritos em compromissos regenerativos, a fim de que possam, por seu próprio esforço, alcançar, um dia, a situação que distingue as entidades redimidas, que superaram as dificuldades pretéritas. São imensas as oportunidades oferecidas às criaturas humanas, pelo Pai, sábio e bondoso. Todavia, não encontramos nunca oportunidade melhor de sentirmos Jesus junto a nós, do que quando a dor nos visita, pois esse é o ensejo para revelarmos, de fato, a nossa real capacidade de equilibrarmos os sentimentos que se encontram latentes em nossa alma, a nossa fé, verdadeira ou não, o nosso desejo legitimamente cristão de progredir para alcançarmos a total renovação interior, certos, já então, da presença do Cristo em nós.

Muitos se deixam levar por opiniões nem sempre ponderadas, na tentativa de se libertarem o mais rapidamente possível de problemas íntimos; outros, se consomem em turvos pensamentos destrutivos, que lhes enfraquecem as forças morais já debilitadas e desarmam todas as possibilidades de socorro da parte de seus amigos espirituais.

É preciso refletir, irmãos. Não é com desespero que podereis manter-vos firmes e fortes diante das provas duras c chocantes do mundo. Para vos prevenirdes contra a derrota é necessário recorrer à serenidade cristã daqueles que, mais amadurecidos e experimentados, já vislumbram os esplendores da Verdade, porque compreenderam a realidade da vida espiritual dentro da vida material e já sabem que podem diluir dúvidas e transpor obstáculos, através do Espiritismo evangélico, que nada mais é do que o Espiritismo kardequiano iluminado pelas lições imortais do Cristo de Deus.

Pensai um pouco. Nos momentos de dor, usai de cautela, para não vos deixardes vencer pelo desespero, que cega e desvaria. Orai com fé, concentrando-vos no Mestre, para que vossas preces, ungidas de sinceridade e amor, recebam, como aspirais, a divina resposta. Jesus vos ilumine.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 33, janeiro-fevereiro de 1971)

Voltar ao topo

DIANTE DA ENCRUZILHADA

Fotomontagem de jovem parado diante de dois caminhosQuando te encontrares, irmão, em situação duvidosa, sem saber que decisão tomar, como se defrontasses uma encruzilhada, indicando vários roteiros a seguir, acalma-te. Ora, reflete e logo experimentarás uma sensação de tranquilidade, que te facilitará uma resolução acertada. Surgirá aí o momento azado para usares com segurança o teu livre-arbítrio em busca de uma decisão adequada. Se elevares teu pensamento ao Alto, receberás do Pai a intuição de que precisares.

Não deves titubear no caminho, depois disso. A ajuda recebida será amparo para ti, mas não te esqueças de que a resolução será tua, inteiramente tua, pois jamais haverá qualquer interferência que afete o teu livre-arbítrio. Ora com sinceridade e confia. Tua confiança te servirá de defesa contra o erro. No mais, aceita corajosamente tuas dores, vigia tuas dúvidas e aprende a buscar sempre a resposta de que necessitares, quando te encontrares nas encruzilhadas da vida.

Jesus jamais abandona e desampara aqueles que têm o coração limpo e buscam a verdade para se libertarem da treva. Todavia, liga o teu esforço à exemplificação dos ensinamentos espírita-cristãos. A tua reforma moral e os trabalhos de caridade que realizares, a humildade que tiveres no trato com o próximo te farão sentir mais intensamente as virtudes de Jesus. Mas não te esqueças: serve com humildade e devotamente e indica a estrada certa a todos quantos estiverem também defrontando as dúvidas nas encruzilhadas. Acolhe em teu íntimo os ensinos do Cristo e verás que tudo sairá a contento no decurso da tua atual experiência terrena. Ora e confia.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 34, março-abril de 1971)

Voltar ao topo

PODEROSO ALIADO

Imagem de lago de águas transparentes e plácidasO campo de trabalho é vasto, queridos irmãos, mas, antes de tudo, é preciso tomar uma decisão quanto à melhor maneira de se iniciar o serviço. Se aceitamos a tarefa que nos defronta, devemos forrar-nos de coragem e paciência, de determinação e calma, para que o esforço despendido encontre êxito. Na verdade, dadas as condições atuais da vida terrena, o trabalho é difícil e reclama boa vontade e persistência. Não devemos temer diante dos obstáculos, mas compreender que as dificuldades vencidas valorizam extraordinariamente a categoria do trabalhador consciente de suas responsabilidades e certo de que a tarefa bem cumprida representa sempre o prêmio das consciências tranquilas.

Não desperdicemos o tempo útil ao serviço, mas também não corramos demais, pois a pressa excessiva atrai o cansaço e o rendimento orgânico começa a decrescer, ameaçando o resultado final. Aproveitando bem o tempo, resguardaremos nossas reservas de energia, mantendo o equilíbrio indispensável e resgatando a fadiga natural com o repouso normal.

Compreendemos que pode haver apreensões, mas acreditamos sejam elas suplantáveis desde o momento em que seja resolvido substituí-las pela decisão franca e sólida de levar a termo os compromissos assumidos. Sejamos tolerantes com os outros e exigentes conosco. Assim iremos armazenando forças mentais para vencer barreiras e crises que costumam surgir no curso da vida terrena. É necessário aprender a deixar que o tempo apague as dificuldades que, por ventura, o esforço realizado não possa derrubar. A paciência triunfa geralmente de todos os óbices. Ela até nos permite, muitas vezes, descobrir meios e modos de sairmos das dificuldades.

Encontraremos no Evangelho do Cristo os elementos imprescindíveis ao fortalecimento da nossa fé, da nossa coragem, da nossa força de vontade. Entretanto, é necessário que a correção dos nossos atos esteja sempre presente nos menores atos da vida, para que possamos ter conosco um aliado poderoso: a tranquilidade de consciência. Que Jesus a todos ilumine, irmãos!

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, Ed. 35, de maio e junho de 1971)

Voltar ao topo

O PODER DA FÉ

Mãos voltadas para o céu recebendo um banho de luzNão deixes que a tua fé se abata diante da primeira dúvida que te assaltar o espírito, nem que teu ânimo se perca em dores e lamentos diante das provas. É nesses momentos de fraqueza da alma que nos cabe o dever de reagir, mostrando que temos fé e buscando nela a força que ameaça fugir.

Se segues a doutrina de Jesus, logo teu coração tem o dever de exemplificar por atos os ensinos recebidos do Mestre. O testemunho se valoriza nos instantes agudos, amargos, dolorosos. E pode salvar aqueles que possuem a fé consolidada no coração.

Muitos podem cair, mas tu deves ajudá-los a se reerguer.

Se tropeçares e sofreres queda, transmite aos mais fracos que és o exemplo da fé, levantando-te, disposto a recomeçar a caminhada, com o propósito de evitar recaídas. Aqueles que caem, não devem ser censurados, mas ajudados, porque, sentindo-se amparados e estimulados por palavras de compreensão e amor fraterno, terão ânimo para recompor-se. Quem segue com Jesus, tendo o coração limpo, esquece-se de si e busca servir com alegria os mais necessitados de auxílio.

Nunca estás só. Todas as tuas dificuldades são vistas do Alto e reequilibradas, dentro das tuas necessidades espirituais. A fé gera a esperança. A esperança retempera a fé. Não contes, porém, com o que parecer benéfico, quando estiveres em prova, quando estiveres sob o reajustamento moral indispensável ao teu bem futuro, pois o Pai não estaria sendo amoroso e bom para contigo, cumulando-te de privilégios e assim permitindo que teus males continuassem por mais tempo e teus débitos tornassem mais longos os sofrimentos. A lei não deve ser sustada, é imutável, em benefício da justiça. O que deveres, pagarás. Mas, se já acertaste o roteiro; se o caminho que segues já é o do Cristo, então procura livrar-te dos pequenos males e eleva ao Alto tuas orações e teus pensamentos de progresso, porque assim, sentirás o fardo mais leve. A resposta, a cura e a orientação virão imediatamente ao teu encontro, pois, dessa forma, já poderás ver a luz divina indicando que estás a serviço do Senhor. Que Jesus te ilumine.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, Ed. 36, julho de 1971 a agosto de 1972)

Voltar ao topo

NINGUÉM ESTÁ SÓ QUANDO TEM FÉ

Fotomontagem de espírito guardião ao lado de jovem adolescenteOh, meus queridos irmãos! Por que vos julgais sós? Por que sempre pensais que estais abandonados? Contigo labutamos quase que diariamente e nossos pensamentos estão sempre voltados para o Mestre, ao qual rogamos por vosso bom desenvolvimento moral na senda da encarnação que estais cumprindo. Ninguém permanece sozinho, quando não esquece o Pai amado. Há outros Espíritos amigos que se interessam pelo vosso futuro e vos acompanham com extrema dedicação, mormente quando ficais desorientados, para que vos recordeis de Jesus e recobreis o ânimo necessário à reconquista da serenidade. Tristes ficamos nós quando vemos que a vossa fé vacila, mas nos alegramos sempre que a vossa reação cristã se demonstra, porque isso é sinal de que recuperais a esperança. As dores e provações do mundo atravessam os corações humanos bem formados com maior intensidade, mas os que estão com o Cristo levam a vantagem de recuperar as forças por meio de renovadas esperanças e desse modo podem resistir aos embates da vida. Não vos julgueis sós. Do Alto, Jesus acompanha o vosso esforço e permitirá que a vossa boa-vontade seja favorecida até ao ponto em que a nossa ajuda não interfira no vosso livre-arbítrio.

Ninguém está só, principalmente quando pensa em Jesus. O pensamento no Mestre é prova de que estamos com Ele, porque, não vos esqueçais, Ele está sempre, sempre conosco. Quando na matéria, muitas vezes também me considerei só e o carinho do Mestre me afagou o coração, fazendo-me sentir envergonhado de abrigar a ideia de injustiça diante de tanta misericórdia e de tanto amor. É preciso que saibais que fazemos e faremos sempre o que nos é permitido fazer pela melhoria da jornada dos nossos irmãos terrenos, mas não podemos alterar o sofrimento e o resgate de faltas que têm de ser pagas, de acordo com a Lei divina.

Rogamos-vos que troqueis os pensamentos negativos por pensamentos de fé e de esperança, porque, dessa maneira, será mais fácil a nossa aproximação para o esclarecimento de que precisais nos momentos de desânimo. Se vos cercais de ideias negativas e perdeis a calma, formais uma barreira que nos impedirá de vos dar qualquer auxílio em nome de Jesus, pois é Dele que vem toda a luz reconfortante emanante do Pai.

Deus é a fonte de amor perene e de misericórdia inesgotável com que contamos, no serviço de recuperação de cada dia. Jesus é· o caminho que nos deu o Pai, a fim de mais depressa alcançarmos a condição de libertos das dores do mundo. Mas é preciso fé e amor no coração. Buscai na oração a tranquilidade que vos falta e sentireis, quando alcançardes a comunhão com o Mestre, o alívio que vos levará ao reencontro de vós mesmos.

Estaremos convosco, irmãos.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, Ed. 37, setembro-outubro de 1972)

Voltar ao topo

NECESSIDADE DA PERSEVERANÇA

flor brotando em fresta de cimentoÉ preciso que nos habituemos a buscar na oração o conforto diário para o nosso espírito e nunca nos abandonarmos à impaciência. A ti, que sofres em consequência da incompreensão do mundo, não percas a paciência e confia. Permite que eu sofra junto a ti e te ajude a abençoar o amanhã. O essencial é nunca desanimar e procurar corajosamente ver nas pedras da estrada flores de amor, porque a maneira de encararmos as dificuldades é muito importante. Olha para baixo e verás outros, muito mais necessitados do que tu e podem ser beneficiados por ti, se, contendo teus desencantos e tuas dores, tiveres para eles uma palavra de fé e de esperança.

Ama, irmão; ama sempre. E Jesus te dará um roseiral, aonde poderás colher as flores da compreensão e distribui-las com outros irmãos em condições piores. Se aprenderes a ter paciência, melhor poderás ver o caminho que palmilhas. A prece é um arrimo, a fé é também um amparo. Quem tem fé sente a esperança a reforçar-lhe a alma. Não te abandones à impaciência e ao desalento. A coragem é uma prova de fé e de esperança. O esmorecimento e o desespero atestam a ausência de fé e a morte da esperança.

Irmão querido: anima-te e procura ver em cada dificuldade um incentivo para a luta que manténs. Rega o teu roseiral com a humildade, usa nele o adubo da fé e logo verás os botões surgirem, que são a esperança de todas as lindas flores, cujas pétalas poderão significar para ti pequenos triunfos cotidianos, prestes a se transformarem na vitória que te redimirá.

Paz ao teu espírito. Deves compreender que todos temos responsabilidades a atender no curso da vida. Elas representam compromissos que assumiste e que, naturalmente, terás de satisfazer. Que Jesus te dê a humiIdade que é força e poderá fazer com que se abram para ti as portas de melhores dias. Mas sê paciente. Trabalha a teu favor, não desanimando, porque a paz que o mundo não te pode dar poderás obter em ti mesmo. E com a paz no coração, tudo te será menos difícil. Jesus ajuda a quem procura acertar, irmão. Não espere demais dos outros, porque ninguém pode fazer mais do que lhe é permitido.

Ora e insiste na busca da melhoria que desejas. Não poderás harmonizar-te com o mundo, se não estiverem em harmonia contigo mesmo. Que Jesus te abençoe.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 38, novembro-dezembro de 1972)

Voltar ao topo

AVISO OPORTUNO

Fotomontagem - silhueta de homem louvando ao solMeus amigos,

Louvado seja o Senhor. Em minha última romagem no campo físico, mobilizando os poucos préstimos de minha boa vontade, devotei-me ao serviço da cura mediúnica; no entanto, desencarnado agora, observo que a turba de doentes, que na Terra me feria a visão, aqui continua da mesma sorte, desarvorada e sofredora. Os gemidos no reino da alma não são diferentes dos gemidos nos domínios da carne. E dói-me o coração reparar as filas imensas de necessitados e de aflitos a se movimentarem depois do sepulcro, entre a perturbação e a enfermidade, exigindo assistência. É por esta razão, hoje reconhecemos, que acima do remédio do corpo temos necessidade de luz no Espírito. Sabemos que redenção expressa luta. E que resultados colheremos, no combate evolutivo, se os soldados e obreiros das nossas empresas de recuperação jazem desprevenidos e vacilantes, infantilizados e trôpegos?

Nas vastas linhas da nossa fé, precisamos armar-nos de conhecimento e qualidade que nos habilitem para a vitória nas obrigações assumidas. Conhecimento que nasça do estudo edificante e metódico, e qualidade que decorra das atitudes firmes na regeneração de nós mesmos. Devotamento à lição que ilumine e à atividade que enobreça.

Indubitavelmente, ignoramos por quanto tempo ainda reclamaremos no mundo o concurso da medicina e da farmácia, do bálsamo e do anestésico, da água medicamentosa e do passe magnético, à feição dê socorro urgente aos efeitos calamitosos dos grandes males que geramos na vida, cujas causas nem por isso deixarão de ser removidas por nós esmos, com a cooperação do tempo e da dor. Mas, porque disponhamos de semelhante alívio, temporário embora; não será lícito olvidar que o presente de serviço é a valiosa oportunidade de nossa edificação.

A falta de respeito para com a nossa própria consciência dá margem a deploráveis ligações com os planos inferiores, estabelecendo em nosso prejuízo, moléstias e desastres morais cuja extensão não conseguimos sequer pressentir; e a ausência de estudo, acalenta em nossa estrada os processos da ignorância, oferecendo azo às mais audaciosas incursões da fantasia em nosso mundo mental, como sejam: a acomodação com fenômenos de procedência exótica, presididos por rituais incompatíveis com a pureza de nossos princípios, o indevido deslumbramento diante de profecias mirabolantes e a conexão sutil com Inteligências desencarnadas menos dignas, que se valem da mediunidade incauta e ociosa entre os homens, para a difusão de notícias e mensagens supostamente respeitáveis, pela urdidura fantasmagórica, e que encerram em si o ridículo finamente trabalhado, com o evidente intuito de achincalhar o ministério da verdade e do bem.

A morte não é milagre e o Espiritismo desceu à Humanidade terrestre com o objetivo de espiritualizar a alma humana. Evitemos proceder como aquele artífice do apólogo, que pretendia consertar a vara torta buscando aperfeiçoar-lhe a sombra. Iluminemos o santuário de nossa vida interior e a nossa presença será luz.

Eis a razão por que, em nos comunicando convosco, reportamo-nos aos quadros dolorosos que anotamos aqui, na esfera dos ensinamentos desaproveitados, para destacar o impositivo daquela oração e daquela vigilância, perenemente lembradas a nós todos pela advertência do nosso Divino Mestre, a fim de que estejamos seguros no discernimento e na fé, na fortaleza e na razão, encarando o nosso dever face a face.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada no volume “Vozes do Além”, com psicografia de Francisco Cândido Xavier, e reproduzida em “O Cristão Espírita”, ed. 39, de janeiro-fevereiro de 1973)

Voltar ao topo

DESPERTA E PROCURA SERVIR

Palhaço médico brincando com criança em cama de hospitalGrata oportunidade se me apresenta para louvar o esforço dos soldados do Cristo, sempre a postos, como precisa ser a posição dos que guardam fidelidade ao Mestre. Sejas tu também assim, hoje como ontem, sentindo a necessidade do progresso da humanidade e dando igualmente o teu quinhão de trabalho e boa vontade, como atento colaborador e servo fiel, para levantar, com as résteas de luz que a misericórdia do Cristo permite cheguem até o plano espiritual, os irmãos decaídos.

Há muitas tarefas a realizar. Por isso, não deves ficar de mãos paradas, estáticas, indiferente à realidade presente do trabalho cristão que será útil para a valorização de tua jornada. Jesus despeja a mãos cheias gotas de ouro e de luz, que do Alto vêm iluminar a atmosfera turva e densa da Terra. Recolher ou não essas luzes abençoadas por ti e por outros dos teus semelhantes, é opção entregue ao livre-arbítrio da humanidade. Todavia, nunca estarão ao desamparo os que desejam iluminar-se, e só não se apercebe disso o Espírito imprevidente e leviano, que gasta seu tempo inutilmente, malbaratando suas últimas oportunidades. Lembra-te, tu que me lês, que os tempos são chegados e a todos está sendo concedida a grande e decisiva oportunidade de libertar-se pelo Cristo.

Quanto, quanto quer o Mestre que todos aceitem esse ensejo e, mesmo pelo arrependimento, possam um dia ver Suas lágrimas lavarem as vestes sujas dos corpos humanos e as almas conseguirem, afinal, mostrar-se de brancura imaculada, quando de retorno à Pátria Espiritual! Quão espinhosa é a caminhada dos que já iniciaram a regeneração neste mundo de confusão, guerras e negações, no qual cada esquina pode conduzir a um precipício ou a um charco de podridão e horror! Que resta à humanidade senão o consolo de que, em dias vindouros, as grandes verdades fecundarão os Espíritos dóceis, renovados e simples, já no roteiro certo da elevação! Aqueles que buscam o Cristo redivivo em seus corações, já sentem o conforto da prece, a vigilância na oração, para não titubear, não vacilar no decurso do caminho que ainda os espera. E, diante dos recuperados, na vanguarda dos que procuram a redenção, vai Jesus, o Cristo de Deus!

Portanto, irmão, desperta e procura servir, buscando a pureza dos ensinamentos evangélicos, que são a fonte da Água Viva! Busca o Pai, através de Jesus! Persevera e encontrarás o vale da redenção, onde os corações esplendentes de luz divina e já purificados, incentivam os irmãos retardatários ao progresso por amor, pelo amor maior, pelo amor que constrói a esperança num amanhã dulcificado pela paz! Não te desanimes, como não desanimem todos quantos estejam na mesma situação que tu. O Pai não desampara os que ainda permanecem desatentos. É que ainda não perceberam que o tempo se escoa e, para outros mais cautelosos, já vem-se aproximando a alvorada.

Jesus te abençoe, irmão, para que compreendas e aprendas o bom combate da paz e do amor, com o Evangelho.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em “O Cristão Espírita”, Ed. 42, de outubro a dezembro de 1973)

Voltar ao topo

RESPONSABILIDADE

Foto de uma criança carregando outra nas costas em meio a uma enchenteNas comoventes trocas de afeto fraternal que unem um grupo de verdadeiros cristãos, encontram-se a fé e a força de vontade que conduzirão, todos juntos, a grandes vitórias no mundo. Ninguém caminha só, pois a misericórdia do Cristo sempre está presente para assistir àqueles que peregrinam pelas sendas da Terra. Todavia, se por compromisso de débito ou merecimento, temos a imensa oportunidade de servir ao Senhor, ligados a grupos de tal natureza, devemos mostrar o nosso reconhecimento por tanta misericórdia, de coração alegre, em prece ao Alto, trabalhando de maneira a testemunhar a Jesus a nossa gratidão.

Abençoado seja aquele que compreende o real sentimento do Evangelho do Mestre e já aprendeu a proceder sem as restrições lamentáveis do egoísmo.

Abençoado seja, Senhor, aquele que coloca o problema do próximo em primeiro lugar e ora sinceramente em socorro do irmão necessitado.

Abençoado seja aquele que atende de coração franco e mãos abertas, o irmão aflito, pronto a realizar o mais humilde dos serviços, seguindo o exemplo de amor tantas vezes dado por Jesus.

Abençoado seja, acima de tudo, aquele que, no mundo, não perde o precioso tempo destinado a seu progresso, utilizando-o para o exercício do bem, distribuindo bênçãos e servindo de boa vontade.

Para que agrade a Deus, é preciso que nunca nos esqueçamos das lições do Mestre, da sua figura cativante e humilde e cheia de amor, que curava e sorria ternamente, socorrendo quantos procuravam uma ajuda, a fim de se sentirem aliviados dos sofrimentos do corpo e dos sofrimentos da alma.

Ninguém acorre, frequenta ou trabalha num templo cristão por acaso. Mas todos assumem, desde logo, grande responsabilidade perante Jesus, porque se estabelece uma ligação espiritual entre aqueles que necessitam e pedem, recebendo na medida de seu merecimento, e aqueles que, obreiros do Mestre, procuram dar o seu esforço, como instrumentos da obra caritativa dirigida pelo Cristo, através das inumeráveis e bondosas falanges de Espíritos entregues ao intenso e imenso serviço da Caridade. Não nos esqueçamos jamais, todos nós, os que pedem e os que dão, de que «é dando que recebemos». Por isso, todos estamos, mais do que podemos imaginar, ligados, uns aos outros, espiritualmente.

***

Senhor: não nos falte em nenhum momento o amparo de que ainda somos carentes, em vista das nossas inferioridades, e ajuda-nos a compreender os ensinos evangélicos, para adquirirmos a verdadeira fé, “a fé que remove montanhas”, e podermos vencer os obstáculos que defrontarmos, como venceste, sem temor e cheio de ânimo, as barreiras criadas pela ignorância dos homens.

Que Jesus nos ilumine!

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita – Ed. 43 – Janeiro-Março de 1974)

Voltar ao topo

É TEMPO DE REGENERAÇÃO

Fotomontagem de planta germinando em terra escuraIrmãos:

O mundo está conturbado. Por isto, é tempo de regeneração, de esforço redobrado no tempo que se vos apresenta, como última oportunidade para que os trabalhadores insensatos, que deixaram as charruas inativas e as sementes abandonadas, possam ainda salvar-se. É tempo de regeneração. Colocais sobre vossas cabeças as coroas do mundo?

Oh! Companheiros, deixai que Jesus vos conduza e que nunca vos apeteçam os vãos apetites da carne!

Nunca tão fácil foi como agora o enganar e enganar-se diante dos turbilhões que o planeta atravessa. Tumultos dos corações afastados do caminho, reformas mirabolantes que levam à indisciplina e ao desequilíbrio espiritual.

Acalmai-vos e voltemos às estradas retas do amor verdadeiro. É preciso que todos sintam a verdade na fonte pura, para que as mentes possam resistir à loucura e à insensatez que invadem a Terra.

Busquemos todos a Fonte Viva que não veio de homens e sim do Espírito puro do Senhor, do Pai. Seu filho bem amado, Jesus, trouxe-nos a Sua Palavra. Mas, que fizemos nós?

É tempo de regeneração. Não vos escandalizeis com o que vedes. Calai e orai. Pelo exemplo firme e edificante que derdes, podereis conduzir em vossos atos no mundo a Verdade de que tantos necessitam, porque, afinal, chegou a hora, não da experiência e sim da afirmação.

Chegou para vós, oh, retardatários!, o instante decisivo para vos renderdes à doutrina apresentada, há quase dois mil anos por Jesus, para a salvação do mundo recalcitrante e cego. Quão poucos o entenderam! Quão poucos o conheceram!

Mestre, ajudai-nos a arrastar as pesadas correntes que nos prendem os pés e reconduzi-nos Senhor, ao bom trabalho. Presto, presto, desejamos intensamente recomeçar para que um dia sejamos dignos trabalhadores de tua Seara.

Que a humildade e a resignação sejam a nossa legenda de Esperança, irmãos, e a Caridade tenha presença ativa e constante em nossos Espíritos!

Jesus nos abençoe sempre.

Ignácio Bittencourt.

(Mensagem originalmente publicada em “O Cristão Espírita”, número 45, setembro – dezembro de 1974)

Voltar ao topo

TRIUNFE SOBRE A ANGÚSTIA

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei."
(Mat. Xl:28)

 silhueta de pessoa abaixada com fundo azulIrmão:

Possa o amor de Jesus Cristo ser luz e paz nos corações sofredores!

Por que tantas preocupações e ansiedades, se O Senhor da Vinha sempre encontra o servo que lhe é fiel no justo lugar do bom empreendimento? Por que o temor e a angústia, quando Ele oferece a Água Viva, que mata a sede da alma e estimula o ânimo dos que cedem ao cansaço da vida terrena? É merecido que o servo fiel receba o seu salário, que é a recompensa do trabalho santificado pelo suor do rosto. Portanto, irmão, não titubeies, não trema, não vaciles mais. A alegria e a paz, prometidas aos que procuram a estrada estreita da disciplina, sempre encontram trânsito fácil na consciência do obreiro consciente de seus deveres, ainda que a trajetória possa ser pertubada e a fadiga venha a desafiar a determinação corajosa dos que confiam em Jesus.

Nunca o Mestre deixa ·o homem bem intencionado sem o fraterno calor do seu auxílio. Nunca! Entretanto, levanta o ânimo, irmão. Conserva aceso o lume da fé. Não te refugies na torre sombria da angústia, não te acorrentes ao desespero, não alimente a dúvida que deseja destruir a fé. Não temas a solidão, porque na realidade nunca estamos inteiramente sós. Se o teu estado de alma puser obstáculos aos desígnios dos Espíritos amigos, obreiros do Mestre, eles não encontrarão acesso, receptividade, em teu coração. À angústia, sobreponhas a esperança; ao desespero, imponhas o recurso da fé. Ao dominar a dúvida, a fé se expande e a serenidade retorna à alma até então assustada .

Abra a porta do coração para que mais perto nos ponhamos nas horas de enfermidade do corpo ou de desânimo da alma . A fé às vezes toma outros nomes, como, por exemplo, coragem, determinação, energia, força de vontade . Ela é uma ponte que nos leva aos irmãos carentes de solidariedade. O amor a Jesus alarga os horizontes do Espírito. A exemplificação evangélica é um trunfo poderoso no jogo da existência terrestre.

No silêncio de sua íntima prece, irmão, dinamiza a fé para que ela se transforme em força atuante. Pouco ou nada se consegue sem persistência e sacrifício. As vibrações de uma prece sem convicção são nulas. A prece real repercute no céu e volta enriquecida ao coração do crente. Por isso, nós estendemos nossas mãos fraternas a quantos desejam reerguer-se pela fé, justificando a misericórdia de Pai. O triunfo sobre a angústia exige tenacidade e confiança. Disse o Mestre: «Ninguém vai ao Pai senão por Mim» . Ele é o veiculo da felicidade humana, felicidade que não se traduz por riquezas materiais, mas pela riqueza espiritual. Portanto, irmão, repetimos mais uma vez: -Tem fé!

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em “O Cristão Espírita”, ed. 47, maio-agosto de 1975)

Voltar ao topo

ESPÍRITAS: PRECURSORES

Desenho de Francesco  Ubaldi (Franco Ubaldi) - Caminha, caminha, Cristo adiante e atrás o mundoNinguém aguarde exceções nas Normas Divinas. Espírito algum colherá primazias para agir no Universo. A Lei não se modificará para favorecer-nos.

Desfrutamos vidas independentes: Deus nos criou, mas não existe unicamente para nós. De igual modo, determinada criatura não pode viver exclusivamente para outra, conquanto necessitem socorrer-se e aconselhar-se, mutuamente, em muitas ocasiões, sem se substituírem na responsabilidade individual.

Eis porque a morte não desaparecerá da Terra, as vidas sucessivas não serão suspensas do Cosmo, o Princípio de Causa e Efeito não sofrerá qualquer alteração e a necessidade, por instrutora natural, vigiar-nos-á o caminho. Quem se transforma é a criatura; quem cresce e se corrige somos nós mesmos.

O raciocínio humano, aperfeiçoando as próprias conclusões acerca das realidades que o cercam, avança e se apura, emancipando as almas. Quando atingir graus superiores de elevação, a dor perderá espontaneamente a função que lhe cabe na esfera de cada consciência, desaparecendo por inútil.

Reflete quanto a isso.

Os espíritas são, na vida humana, precursores da moral que ilustrará o futuro. Inadiável experimentar e aprender, desentranhar a ignorância e assimilar o conhecimento.

Se a sabedoria fosse regra, a humildade não seria exceção. Além disso, há muito comodismo fantasiado de humildade. «Sou insignificante», «nada sei», «nada valho», «não é comigo», são refrões cediços dos que anseiam dormir, preferindo que tudo fique hoje como está, a fim de verem amanhã como fica.

Não te pejes de ser simples, a serviço dos outros. Bastas vezes, a pessoa nunca é tão «espírito forte» como quando se assemelha a frágil criança.

Faltando-nos amor puro, falta-nos a paz íntima. O mal cria ideias fixas, instalando-as por fantasmas nos labirintos da memória, espectros que somente se desfazem ao calor do trabalho.

Um sorriso de fraternidade — relâmpago de vida — rompe as trevas, de fora a fora. Ligeiro estudo edificante — centelha na alma — dissipa as sombras interiores.

Na lareira do ideal, se o lume do entusiasmo se extingue, ao primeiro sopro da adversidade, a brasa da convicção permanece rubra, nas cinzas, para alimentar novas chamas. Inibição absoluta e incapacidade irremediável são meras palavras.

Busquemos estudar. Pior que a situação de quem não sabe ler, é a situação de quem sabe e, no entanto, não lê.

Todo espírita cristão é um predestinado, trazendo nos tímpanos e nas retinas vozes e visões doutro mundo; um paisagista a fixar, com o próprio sangue, as telas do bom exemplo; um tarefeiro a regar, com o próprio suor, a lavra do bem.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem do volume "Seareiros de Volta", ed. FEB, psicografia de Waldo Vieira / Espíritos Diversos, publicada em "O Cristão Espírita", Ed. 50 - Maio-Agosto de 1976)

Voltar ao topo

PREITO A ALLAN KARDEC

Allan KardecQue a paz do Senhor nos felicite os corações.

"Mestre! Na constelação brilhante da moral, Jesus é o Astro-Rei; Sócrates, Platão, Confúcio, Moisés e muitos outros fulguram na ,noite do passado . Vós sois o satélite rutilante que, na escuridão descrente do século das luzes, viestes iluminar a inteligência humana e dar crença à alma sedenta de amor e de verdade.

Filho de vossa clariante doutrina, amante da luz que o Astro irradia, espero com fé a radiosa do futuro próximo de paz e de amor, o amplexo doce e sorridente que nos fará Aquele de que vós na estrada do progresso sois o transmissor da moral e da verdade. Mestre: ala-se o meu ser humilde aos pés do Pai, e pede, consciente de ser ouvido, uma centelha mais de sua luz, um átomo mais de seu puro amor para mais e mais irradiar amoroso, quem no século das luzes foi a luz do século!"

Ignácio Bittencourt

(Extraído de O Reformador – Agosto 1895 - Publicado em O Cristão Espírita 51, Setembro / Dezembro de 1976)

Voltar ao topo

ESPIRITUALIZAR A ALMA HUMANA

Por do solIrmãos,

Os gemidos no reino da alma não são diferentes dos gemidos da carne. Dói-me o coração reparar as filas imensas de necessitados e de aflitos a se movimentarem depois do sepulcro, entre a perturbação e a enfermidade, exigindo assistência. É por esta razão, hoje o reconhecemos, que acima do remédio do corpo temos necessidade de luz no Espírito. Redenção expressa luta. E que resultados colheremos no combate evolutivo, se os soldados e obreiros das nossas empresas de recuperação jazem desprevenidos e vacilantes, infantilizados e trôpegos? O Espiritismo desceu à Humanidade terrestre com o objetivo de espiritualizar a alma humana. Nas vastas linhas de nossa fé, precisamos armar-nos de conhecimento e qualidade que nos habilitem para a vitória nas obrigações assumidas. Conhecimento que nasça do estudo edificante e metódico, e qualidade que decorra das atitudes firmes na regeneração de nós mesmos . Devotamento à lição que ilumine e à atividade que enobreça.

Evitemos proceder como aquele artífice do apólogo, que pretendia consertar a vara torta buscando aperfeiçoar-lhe a sombra. Iluminemos o santuário de nossa vida interior e a nossa presença será luz. Compreendamos que a morte não é milagre e, repetimos, que o Espiritismo desceu à Humanidade terrestre com o objetivo de espiritualizar a alma humana.

Os quadros dolorosos que são vistos aqui, na senda espiritual, exprimem consequências dos ensinamentos desaproveitados e servem para destacar a enorme necessidade daquela oração e daquela vigilância perenemente relembradas a todos nós pela advertência do nosso Divino Mestre, a fim de que estejamos seguros no discernimento e na fé, na fortaleza e na razão, encarando o nosso dever face a face.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem publicada originalmente em “O Cristão Espírita”, ed. 52, janeiro-abril de 1977)

Voltar ao topo

O TALENTO DIVINO

Querido companheiro(*),

diamante em forma de coraçãoLembra-te de quando foste chamado a avaliar e reavaliar os grandes delitos que se acumulavam em teu passado e te puseste a verificar o que mais te viria a favorecer; auxiliado por bondosos companheiros, a fim de que, em tua próxima encarnação, pudesses saldar as faltas que ainda permaneciam como estiletes, sangrando-te o Espírito. Choraste de agradecimento e deixaste que a Misericórdia Divina te estendesse a oportunidade de nova vida no plano terrestre, usando o “talento” da mediunidade.

Se outrora tuas dúvidas te conduziram a maus roteiros, no de hoje entregas-te o Cristo a estrada da remissão e, além disso, a oportunidade de, através da Caridade, despejar em bençãos, das quais é simples intermediário, as consolações que do Alto o Senhor permite que cheguem a teus irmãos. Se és servo fiel e procuras cada vez mais no trabalho produtivo dar o melhor do teu íntimo para purificar tuas dívidas, por meio da grande luz que se chega a ti, estendendo-se por tua palavra, por tuas mãos, ao teu coração, Jesus te abençoará a cada instante e teus débitos, envolvidos pela Misericórdia do Senhor, se transformarão em fardos leves e suave será o jugo divino da presença do Cristo junto ao teu roteiro. Lembra-te também que o mais interessado em não se desviar dos verdadeiros objetivos é o teu próprio Espírito, e não te esqueças de que o semelhante atrai o semelhante. E ainda: que a oportunidade maior nos contatos que obtiveres dependerá da correção e da disciplina que colocares em tua vida, para venceres teus defeitos e valorizares teus bons princípios, deixando que a semente divina frutifique na grande árvore que abrigará a muitos.

Se, porém, não utilizares o talento ofertado, por certo as lastimáveis consequências, nesta ou nas próximas reencarnações, se farão sentir, sem dúvida, alertando-te para os compromissos assumidos diante das decisões maiores.

Deixe que por teus ouvidos passem os elogios alheios, mas recorda que o julgamento humano é falho e diante de Deus sabes que ainda és muito endividado. Nunca te esqueças de que os Espíritos que te acompanham nas provas e nas tentações, te verão, não como desejas ser, mas como eras e és; não como procuras te apresentar ao mundo, e sim como te vê a espiritualidade.

Joga fora o que for inútil ao belo roteiro escolhido. Recolherás, por certo, muitas rosas de amor de teus amigos espirituais, mas é necessário que teu merecimento se faça presente.

Jesus te abençoará a passagem.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em “O Cristão Espírita”, ed. 53, de Maio-Agosto de 1977)

(*) Nota da Redação - Esta mensagem, embora dirigida a determinado médium, contém advertências muito úteis a todos os que se entregam ao exercício da mediunidade. Portanto, meditem no que aqui está escrito.

Voltar ao topo

CARIDADE: BENÇÃO DE DEUS

Uma mão entrega um coração a outraO exercício da caridade, para ser fecundo, tem de obedecer a um impulso íntimo, uma natural vontade de ajudar, de servir, de concorrer para beneficiar alguém que se mostre necessitado de alguma coisa. Caridade não é apenas desfazer-se de uma moeda, de valor insignificante, para o desempenho de um ato sem amor. Os verdadeiros obreiros ele Deus são os que ajudam por amor, os que dão ao Cristo a alegria de ver um gesto ou uma palavra em favor do irmão necessitado de aluda.

A prece constitui também um dos aspectos da caridade, se a dirigimos anonimamente em benefício de outrem, principalmente se o fazemos com a intenção pura de socorrer ou amparar uma pessoa infeliz. Entretanto, sempre que pudermos colaborar para mitigar a fome de um faminto, para cobrir a nudez envergonhada de um pobre irmão colhido pela roda cármica, ou para ajudá-lo a sair de qualquer dificuldade séria, a qual não possa ele superar sem auxílio alheio, façamo-lo. Dar sem ,pretender receber do Alto a menor recompensa, é o que estabelece no espírito a verdadeira caridade. Quem dá apenas porque espera ser beneficiado de qualquer maneira, falta ao legítimo princípio da caridade. A constância das preces sinceras, indicando que as boas obras serão sempre recompensadas por Deus, deve antes servir de incentivo para a correção dos nossos erros no trato com os outros irmãos de peregrinação terrena; nunca, entretanto, como estímulo à nossa cobiça para alcançar benefícios ou postos meritórios na Espiritualidade. Aquele que age com tal sentimento, desperdiça a oportunidade de trabalhar por seu próprio progresso espiritual, deixando de favorecer a sua trajetória evolutiva, porque não dá de si os melhores fluidos, que são os oriundos do autêntico amor cristão.

Irmãos: os verdadeiros discípulos de Jesus são aqueles que trabalham por amor à tarefa que realizam, esquecidos do salário, despreocupados do tempo empregado no serviço. Sim, aqueles que se empolgam pela obra que lhes está afeta, sem mentalizar a troca de favores do Alto. Esses, caros irmãos, são verdadeiramente obreiros do Senhor, porquanto, embora sejam às vezes mais necessitados do que os outros a quem procuram ajudar, não veem as próprias carências, não sentem o que lhes escasseia, dando assim belo exemplo de altruísmo e solidariedade humana. Por isso é que podemos considerar a caridade como bênção de Deus.

Paz e amor para todos.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em "O Cristão Espírita", edição número 54, de setembro/dezembro de 1977)

Voltar ao topo

PRECE PARA A REUNIÃO DO EVANGELHO NO LAR

Mãos postas em preceGraças te damos, Pai, porque nunca nos desamparas, a nós, aflitos, desejos de consolação. Aqueles de teus filhos que atravessam a dor e a provação, sentem-se confiantes e serenos, pois Tua presença é paz em seus roteiros. Desperta-nos para as vitórias maiores e, mais ainda, para que no trabalho de Tua seara sejamos dignos obreiros do bem. Entretanto, afasta-nos do desânimo e da dúvida, a fim de que a semente da caridade possa crescer e frutificar em nós e de nós para os nossos semelhantes necessitados de ajuda.

Somos felizes por aceitarmos o jugo leve, amoroso, do Senhor, e com o fardo leve pela fé caminharemos, porquanto a consciência já não nos acusa e o coração já encontrou a serenidade que leva à felicidade interior. Temos boa vontade e sabemos que as oportunidades de servir surgirão, em virtude da Tua imensa misericórdia para conosco. Cuida, Senhor, que a nossa fé seja revigorada pela Tua luz, a fim de não nos deixarmos abater diante da dor, e para que, seguindo a estrada estreita, jamais procuremos as facilidades do mundo, mas sim a disciplina com Deus.

No Amor, a Paz. No Trabalho, a Força. Na Fé, a Coragem.

***

À Família:

Busquem todos no raciocínio a compreensão para os fatos que ainda hoje não podem compreender. O julgamento das dores cabe somente a Deus. Cumpre a todos continuar pelo exemplo a demonstrar boa vontade e caridade cristãs. Cuidados e atenções demasiadas podem ser às vezes interpretadas como submissão, o que seria desfavorável para o atual estado de coisas que o mundo defronta.

Sem aspereza nos atos e nas palavras, procurem o equilíbrio, que deve e pode ser mantido, afastando a dor e o desespero, que são contingências da vida material, muitas vezes criadas por nossa invigilância. Procurem passar pelas provas sem agravá-las. Isto é condição indispensável a todos os que desejam ser vitoriosos na conquista da restauração. A luta terá de ser permanente. Estaremos sempre ajudando, de conformidade com a vontade do Pai.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita, ed. 55, de janeiro/março de 1978)

Voltar ao topo

A FÉ SEM TRABALHO É ESTÉRIL

mãos sujas de barro oferecendo uma florPara que a paz do Senhor habite em teu coração, deves manter-te ativo, sempre apto para o trabalho, e nunca à espera de que as graças que desejas se concretizem sem que cooperes. Jesus procura os corações humildes e planta as oportunidades para que todos, indistintamente, as transformem em obras úteis. As plantas regadas com as lágrimas do sofrimento se desenvolvem melhor, porque despertam a compreensão para os dramas que a vida engendra . e para o fato de que todos os seres estão ligados por uma solidariedade profunda. A dor do próximo não deixa de ser também um pouco nossa, se já estivermos em condições de compreender os ensinamentos de Jesus. Por isso, o Sol do Evangelho a todos ilumina, levando-lhes o calor da fraternidade e a luz do entendimento, permitindo que, através dessa luz, nossos méritos cresçam em direção ao Alto.

Procura, pois, querido irmão, seguir com fé e pureza os ensinos de Jesus, esquecendo-te de ti, de tuas dores, sempre que te for dada oportunidade de ajudar o próximo, de fazeres o bem a outrem, de reconstruíres algo de bom dentro e fora de ti mesmo.

Não te aquietes, nem te inquietes. Não te perturbes. Prossegue com coragem e fé, ainda que as condições não sejam favoráveis. Decerto, o terreno à tua roda não é fácil. Dizemos-te nós que, em verdade, será melhor assim, porque as facilidades esmorecem a vontade, enquanto as dificuldades a estimulam e fortalecem.

A vida é luta incessante. Se todos lutam para melhorar a vida material, por que a melhoria espiritual teria de ser obtida sem esforço, quando é muito mais importante para o destino humano? Demais, a facilidade não é boa companheira e a ela não te acostumarias, porque almejas vencer e a vitória tem sempre o preço do trabalho árduo. Sempre lutaste e lutas nesta reencarnação, e continuarás lutando. Só assim verás, no futuro, os laureis que oramos para que possas merecer em teu retorno.

A fé sem trabalho é estéril, frágil e medrosa. Entretanto, a fé com obras se faz forte, cada vez mais forte, e abre os caminhos do triunfo moral e espiritual, que são os mais importantes. Tuas vitórias de hoje, como as de ontem, são devidas à tua fé e ao teu esforço de recuperação e reconstrução. Jesus nos disse: "Faze por ti, que eu te ajudarei". Isto revela que nunca estamos sós, quando perseguimos um objetivo valoroso. Por isso dizemos-te, humildemente: Constrói, que nos momentos necessários estaremos, com a permissão do Alto, sempre a teu lado!

Não te esqueças, porém, de que as melhoras temporárias são alertas para esforços maiores e redobrada atenção. Segue teu caminho, vigiando e orando sempre, irmão.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originariamente publicada em O Cristão Espírita, ed. 56, de abril / agosto de 1978)

Voltar ao topo

A GARANTIA DA VITÓRIA

silhueta gráfica de ser humano expandindo luz do próprio peito, sobre fundo escuroA prova do poder material induz o homem a grandes dificuldades no caminho, mas também às maiores vitórias cristãs. Orai e vigiai, sede serenos e aplacai as vossas iras, antes que elas vos conduzam a erro maior e sem retorno.

Compreender o valor do bem é necessário, mas colocá-lo no âmago do vosso coração é imprescindível.

Ajudemos. pois, a todos os que nos foram confiados pelo Alto como companheiros da luta terrena, Iembrando-nos sempre de restaurar os débitos do passado, sem darmos lugar ao orgulho em nossa dianteira.

Se sobre vossas cabeças estão as coroas do mundo, é necessário que saibais comandar. O conhecimento da Lei vos faz cônscios das responsabilidades assumidas e das dificuldades a serem enfrentadas, sendo assim muito legítimas as vossas preocupações. Mas não vemos razão para voa deixardes intimidar; ao contrário, encorajai-vos, e construí na fé, colocando o Cristo à frente de todos os vossos atos na jornada.

Há muito que aprender, sim, e um espírito atento aproveita a preciosa oportunidade reencarnatória para seu aproveitamento constante. Toma, pois, a cadeira da observação, e sente primeiro a trave no teu olho, removendo-a, antes que sejas capaz de retirar um cisco do olho de teu irmão.

Tira o melhor proveito dos ensinamentos que te são apresentados, e não te escondas em tempo de servir. Realiza com Jesus e persevera, mesmo que teus olhos chorem e tua cabeça carregue uma coroa de espinhos. Segue com o Cristo, e oferece tuas mãos para o trabalho - mesmo que elas estejam sangrando, que nunca estejam vazias de boas obras!

No saber esperar produzindo ativamente, está o prosseguir com a paz tão desejada por vós: paz que é retidão de pensamento, paz que é reconforto na serenidade do Evangelho.

Dividi vosso pão, reforçai vossos ideais cristãos com prática viva dos ensinos do Mestre: assim vos estará garantida a vitória sobre os percalços do mundo.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida na Federação Espírita Brasileira, e publicada em O Cristão Espírita, ed. 57, de setembro-dezembro de 1978)

Voltar ao topo

FAZEI E EU VOS AJUDAREI

Mão recebendo bençãos do céu na forma de luzPara que o caminho se alargue à tua volta é necessário que, de instrumento nas mãos, executes o esforço inicial para afastar as primeiras pedras que te impedem os passos. A charrua que rasga teu campo de trabalho, fazendo com que a terra esteja pronta, é a tua boa vontade; e a semente produtiva é o Evangelho do Senhor.

Se te puseres apenas a alardear que a estrada é rude, que tuas dificuldades se multiplicam - nada se moverá e o teu tempo certamente se escoará, enquanto tuas forças se esvaem.

Quando, ao contrário, te decidires a enfrentar as dificuldades, e afastares os primeiros obstáculos, o socorro da Misericórdia do Cristo não deixará de te atender ao apelo; e já não te acharás sozinho a gritar, para o infinito, que trazes grilhões nos pés...

"Fazei e eu vos ajudarei, batei e abrir-se-vos-á" – disse-nos o Senhor. Nenhuma prece ficará sem resposta, e do Alto o Amor do Pai sustenta a todos os que procuram o Caminho da Verdade. Se tens dificuldades em teu roteiro, e se difícil é a estrada para os teus passos, lembra-te de que foste tu quem colocou nela os calhaus e espinhos neste teu retorno.

Aprende, dando teu esforço em prol do teu próximo, o quanto e como é bom servir no trabalho santo e humilde do servo fiel, que sabe já ter iniciado com Jesus a trajetória regeneradora de seu espírito, em direção à Luz Maior.

Hoje, só boas obras e trabalho responsável te poderão conduzir ao terreno firme e tranquilo que desejas trilhar, certamente, num amanhã bem próximo. Afasta-te pois, das dúvidas, e aprende a seguir, cônscio e sereno, os passos do Senhor.

Vence a ti mesmo, tira a trave do teu olho, acentua a disciplina cristã, aprende a selecionar o que te convém e o que é realmente importante para o roteiro que esperas seguir.

A alegria te impulsionará, a paz te conservará a felicidade, e a caridade te fará mais próximo do Amor do Pai.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em “O Cristão Espírita”, Ed. 60, setembro / dezembro de 1979)

Voltar ao topo

A PORTA ESTREITA PARA OS MÉDIUNS

Homem conduzindo arado puxado a boisDisse-nos Jesus que larga é a porta da perdição, mas que é estreita a da salvação.

Muitos, receosos de assumirem compromissos, fogem ao exercício de suas mediunidades; desconhecem porém que, assim agindo, sintonizam quase sempre com vibrações inferiores - pois a mediunidade não se manifesta apenas quando se deseja fazer uso dela, e está sempre pronta a se manifestar, quer para o bem, quer para o mal.

Os seres humanos estão sempre recebendo influências de Espíritos desencarnados, que os rodeiam, e tais influências hão de ser boas ou más, de acordo com o campo vibratório de cada um. Eis a razão pela qual nossas atitudes sejam regradas em consonâncias com as lições do Mestre Jesus: seguir o que Cristo nos ensinou, poderá representar para muitos a porta estreita do sacrifício e do desassossego; aqueles, porém, que compreenderam o motivo de seus sofrimentos, e alcançaram a importância e autenticidade das verdades pregadas pelo Divino Rabi, procurando segui-las por estarem convictos da sua necessidade, sentem que essa é a única porta pela qual poderão passar. A porta larga oferece verdadeiras asfixias para os Espíritos refinados pelo contato do Evangelho de Jesus.

Aos dotados de mediunidade aconselhamos, pois, a porta estreita, com o trabalho e a busca de melhoria espiritual, através do estudo e da meditação - e jamais o isolamento, mas sim a convivência, com os irmãos necessitados de remédio para seus males físicos e espirituais.

Lembramos aos médiuns, quase sempre espíritos devedores, e não missionários como se julgam alguns ainda envolvidos pela vaidade, que a oportunidade de liquidarem suas dívidas do passado lhes é oferecida através dos dotes mediúnicos - os quais devem ser usados para minorar as dores físicas e espirituais de seus irmãos desnorteados.

Renúncia, dedicação, tolerância, paciência, estudo, disciplina, humildade e trabalho - eis os umbrais da porta estreita por onde há de passar o médium espírita. Do outro lado da porta irá encontrar a plenitude da vida espiritual, que no coração reside com a capacidade de amar e doar, resultando na felicidade eterna, capaz de superar todas as dores e todos os percalços.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida a 27 de maio de 1981 e publicada originalmente em O Cristão Espírita, ed. 67, janeiro-abril de 1982)

Voltar ao topo

SE...

Jesus cercado de anjos do SenhorSe estacionas no caminho, é porque não sabes prosseguir.

Se te lamentas demais, é porque não sabes volver os olhos ao teu redor e observar que existem a teu lado casos piores que o teu.

Se não consegues vencer, é porque não te empenhas em lutar.

Se não sabes sorrir, é porque a condição negativa do teu pensamento só te ensina a chorar.

Se não ajudas a ninguém, é pura e simplesmente porque não o desejas; teu egoismo e teu comodismo suplantam tua fé.

Se não segues os ensinamentos cristãos, é porque eles te dão a impressão de formarem um caminho muito duro para a tua debilidade.

Se não te dispões ao trabalho na Seara do Cristo, é porque de fato não o queres: o trabalho está aí, ao alcance de todos aqueles que, com o amparo do Senhor, buscam dignificá-lo através da prática de Seus inúmeros exemplos.

Se não vês o Sol, é porque as trevas do teu pensamento encobrem a luz desse astro maravilhoso – que é o próprio reflexo de Deus.

Se não te sentes alegre, é porque não aprendeste a fruir o dom da vida e a oportunidade que ela representa para todo Espírito encarnado.

Se não levas adiante teus passos em direção ao Senhor, a responsabilidade é exclusivamente tua.

Vê bem, querido companheiro, que existe sempre um "se" em nossas vidas: mas essa miúda palavra, de duas letras apenas, não deve suplantar a grandeza da tua Fé, da tua Coragem e Autodeterminação.

Que Jesus abençoe a todos!

Ignácio Bittencourt

(Mensagem psicografada no quarto sábado de agosto de 1982 e publicada originalmente na edição número 68 de O Cristão Espírita, de maio-agosto de 1982)

Voltar ao topo

A CAMINHO DA PERFEIÇÃO

Paisagem de um caminho florido tendo o sol ao fundo>

Quando o Pai nos encarna na Terra é para caminharmos de acordo com a rota que nos leva até Ele. Entretanto, o homem desvia-se constantemente da estrada certa, adentrando-se em desvios que o levam a provas dolorosas. Assemelha-se à criança que nos primeiros anos, sem ainda discernir o que é bom ou o que é mal, causa danos a si própria.

Há dois mil anos, misericordiosamente, o Pai enviou-nos o Seu Filho como exemplo; contudo, muitos se encontram tão cegos como antes, só dando atenção ao que lhes desperta o gozo dos sentidos.

Urge que o homem seja melhor, sem extravios, porque a Terra, até aqui considerada de dores e provas, está a ponto de se transformar em planeta de regeneração.

Você, pois, que se diz espírita, deve se compenetrar dessa verdade e procurar o equilíbrio, preparando-se para o trabalho que é bênção de Deus.

Torne a sua mediunidade ativa, inspirando-se no Evangelho de Jesus.

Aproveite bem o seu tempo, disciplinando-se e mantendo o firme propósito de se melhorar.

Não sobrecarregue o seu corpo físico com tóxicos alimentares, lembrando-se de que ele é o seu instrumento de trabalho.

Receba cada dia que amanhece como oportunidade para aprendizagem. Ao fim de cada dia, ao deitar-se, depois de meticuloso balanço das suas ações, faça uma prece, colocando-se sob a proteção do Pai.

Leia páginas que ajudem você a se iluminar.

Sempre que souber de algum mal do seu irmão, procure recordar-se dos belos exemplos de homens bons que viveram na Terra.

Ajude de alguma forma irmãos carentes.

Jamais critique maliciosamente o seu irmão, principalmente o companheiro da equipe de trabalho quando em erro, procurando, sim, contar os seus acertos.

Evite queixas, perdoando sempre.

Agindo assim, você caminhará firme a caminho da Perfeição com a ajuda dos espíritos superiores e com a bênção de Deus.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita edição número 69, de Setembro/Dezembro de 1982)

Voltar ao topo

SEJA PACÍFICO

Sempre existe revolta ou má vontade nos constantes julgamentos feitos pelo povo de um país ou por pessoas de uma comunidade aos seus administradores.

Entretanto, a caridade que nasce da compreensão e da análise justa, requer dos nossos Espíritos uma força que deve ser transmitida àqueles que são alvo das nossas preocupações; essa força é proporcionada pela nossa vontade de ajudar através de nossas preces e de nossas vibrações de amor, evitando críticas destrutivas que nada constroem.

Uma obra demanda muito tempo para ser construída, mas alguns minutos bastam destruí-la.

Se você quiser, portanto, participar efetivamente da melhora da sua nação, da sua cidade ou mesmo do seu lar - seja pacífico. Ilumine-se através do Evangelho de Jesus, e será como um farol capaz de enviar luz em direção aos que se encontram perdidos e desorientados.

O médium, em especial, deve tomar em consideração o que estamos aqui dizendo; porque no médium podem ser trabalhados elementos fluídicos e vibratórios capazes de transformar, de curar, e de expandir o Bem em todos os sentidos.

Disse-nos Jesus que os pacíficos serão chamados filhos de Deus - donde se conclui que a mediunidade pacífica é afável, doce, obediente, calma e resignada; devemos afastá-la da cólera, filha do orgulho e da crítica ferina, a fim de que ela possa cooperar realmente para um mundo melhor.

Ajudemos - com a nossa paz e a nossa certeza de que a Harmonia Universal jamais será quebrada.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em O Cristão Espírita edição número 70, de janeiro/abril de 1983)

Voltar ao topo

VIGILÂNCIA

Olho humano com o Universo em seu interiorConstantemente, nos dias de hoje, os homens são exortados à fraternidade por religiosos, políticos e diversos ideologistas. Entretanto, em muitas ocasiões em que os atos fraternos devem manifestar-se, tal não ocorre. Por que? - Perguntarão muitos. A resposta é simples: falta vigilância.

Os espíritos que reencarnam na Terra têm passado faltoso e vícios milenares que acompanham mesmo os que já se conscientizaram da necessidade de praticar o amor como nos ensinou o Nosso Mestre Jesus. Por isto, verificamos sempre, nos atos dos homens, intolerância, vingança e maledicência, que são sentimentos contrários à fraternidade.

Se você deseja que a fraternidade viva entre os homens, comece por si mesmo - mantenha-se vigilante. Encare os seus irmãos que erram como doentes morais que precisam da sua prece, da sua palavra esclarecedora como o doente do corpo necessita de remédios. Não veja os castigos que recebem os criminosos, como uma vingança quase pessoal, uma vez que é comum ouvir-se alguém dizer que se sentiu aliviado por constatar o castigo ou sofrimento do que se marginalizou no crime.

Fraternidade não significa somente união entre irmãos que professam os mesmos ideais. No sentido amplo, fraternidade é o mesmo que amor por todos os seres hominais, abraçando os que acertam e julgando os que erram como filhos de Deus que encontrarão, um dia, o seu caminho. Vigilância contra os nossos pensamentos maledicentes, vingativos, temerosos e intolerantes, eis o que se faz necessário para sermos fraternos e candidatos a um mundo melhor.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem recebida em nossa Casa a 26/05/1982 e publicada originalmente na Edição 71 de “O Cristão Espírita”, de Maio/Agosto de 1983)

Voltar ao topo

SABER AJUDAR

Uma mão entregando à outra um coraçãoNa Terra, quem já entendeu que um dos principais deveres do reencarnado é ajudar-se a ajudar a seus semelhantes necessitados, deve ter como principal objetivo a prática do amor, em seu sentido mais amplo.

Eis a razão pela qual o lema do Espiritismo é este: "Fora da Caridade não há salvação".

Ao contrário do que muitos supõem, a caridade não está na esmola, a qual representa uma pequena fração do que possuímos: caridade é bem mais o Amor em ação, Amor que nos faz compreender não ser possível a felicidade para nós sem a felicidade do nosso irmão que sofre ou que se marginaliza no erro.

Daí a necessidade de dar, que sente o coração bem formado - porque na doação que se faz é que se encontra o verdadeiro bem-estar.

Mas é preciso saber ajudar, transformando a criatura carente em criatura realizada e capaz de caminhar com seus próprios pés: como ensina aquele sábio ditado chinês: - "o maior bem que se faz ao faminto não é dar a ele um peixe, e sim ensiná-lo a pescar".

Isso requer esforço continuado, perseverança, paciência, e até humildade.

Quando todas as pessoas se compenetrarem de que assim devem proceder, saberão usar suas riquezas com inteligência e responsabilidade, uma vez que o seu objetivo há de ser o bem geral.

Para saber ajudar, é preciso, pois, conscientizar-se de que o progresso de todos não é possível sem o trabalho de cada um. Os que são ainda incapazes de compreender isso e trabalhar para o Bem, exigem e merecem de nós amor e exemplos.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente na Edição 72 de “O Cristão Espírita”, de Setembro/Dezembro de 1983)

Voltar ao topo

VISÃO NOVA

Panorama do UniversoAs ilusões da vida comum são demasiado espessas para que o raio da verdade consiga varar, de pronto, a grossa camada de véus que envolvem a mente humana.

A intimidade com outros mundos, tão celebrada por nós - os espiritistas - continua, como sempre, um grande e abençoado sonho: de quando em quando, o obreiro prestimoso, na posição do aprendiz necessitado de estímulo, é agraciado com uma ou outra excursão de mais largo voo, mas sempre condicionado a horário curto e possibilidades restritas de permanência fora do seu habitat; o que também ocorre aos investigadores da estratosfera, que vocês conhecem na Terra - viagens rápidas e apressadas, com limitações de ausência e reduzidos recursos de sustentação.

Vocês já imaginaram o que seja o Espaço, esse domínio imenso povoado de forças espirituais que ainda não conseguimos compreender em seus simples rudimentos? E já calcularam o que venha a ser esse plano infinito, onde a luz viaja com a velocidade de 300 mil quilômetros por segundo?

Francamente, hoje creio que um ser humano, dentro do nosso sistema solar, é comparativamente muito menor que uma formiga no corpo ciclópico da montanha onde se oculta.

Sentindo-nos assim quase na condição de ameba pensante, somos, depois do transe carnal, naturalmente constrangidos a singulares metamorfoses do senso íntimo. Sempre nos supomos figuras centrais do universo, e acreditamos ingênuamente que o nosso desaparecimento há de perturbar o curso dos seres e das coisas... Contudo, no dia imediato ao de nossa partida - quando nos é poss(vel observar - reparamos que os corações mais afins do nosso providenciam medidas urgentes para a solução de quaisquer problemas nascidos da nossa ausência.

Se deixamos débitos sob resgate, pensamentos pungentes desfecham-se daí sobre nós, cercando-nos de aflições purgatoriais; e se algum bem material legamos aos descendentes, é preciso invocar a serenidade para podermos contemplar sem angústia os tristes aspectos mentais que se desenham em torno do espólio...

A vida prossegue imperturbável, porém, e nós precisamos acompanhar-lhe o ritmo na ação renovadora e constante. Somos, assim atribulados por enormes problemas.

Não temos mais como prosseguir com as ilusões a que nos agarrávamos entre conceitos provisórios e títulos convencionais, e nem podemos de imediato penetrar nos serviços da Espiritualidade Superior - por nos faltarem credenciais de luz íntima, com o amor e a sabedoria por bases.

Resta-nos, pois, diante das transformações inelutáveis da morte física, recomeçar humildemente aqui o velho curso de aperfeiçoamento moral, reaprendendo antigas lições de simplicidade e serviço.

E quando nos comunicamos entre as pessoas de boa-vontade, é natural que não sejamos os espíritos iludidos de ontem, mas os discípulos da verdade no presente imperecível, edificados na integração mais perfeita com os prindpios de Jesus, não obstante a nossa demora multi-secular em pleno jardim-da-infância.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada em "O Cristão Espírita", ed.73, de janeiro-junho de 1984)

Voltar ao topo

É PELA FALTA DE FÉ

Pessoa andando no escuroÉ pela falta de fé que muitos espíritos deixam de produz ir o bem q ue poderia ser feito na sua romagem terrena.

É pela falta de fé que, quase sempre, o homem se torna ocioso.

É pela falta de fé que os erros não são vencidos, embora haja vontade de vencê-los.

É pela falta de fé que grandes obras não são realizadas.

É pela falta de fé que o homem não consegue a auto-disciplina para debelar os seus vícios.

Jesus, conhecedor da admirável força que esta virtude nos dá, exaltou-a várias vezes em seu Evangelho.

Considerou que a fé do tamanho de um grão de mostarda é capaz de transportar montanhas (de dificuldades, de dúvidas, de ansiedades ... )

Ao realizar algumas curas, engrandeceu a fé dos que a solicitaram.

Quando os discípulos não conseguiram expulsar o obsessor de um jovem, Ele afirmou que lhes faltou a fé necessária.

Assistindo aos sofrimentos humanos, constatamos, todos os dias, que em maior número, eles existem por falta de fé.

Filas e mais filas de seres humanos aflitos passam pelos consultórios de psiquiatras e de psicanalistas, quando lhes bastaria a fé no Criador de Todas as Coisas para a solução dos seus problemas angustiantes.

***

É preciso não esquecermos que nossa falta de fé dificulta nosso progresso espiritual. Portanto, aconselhamos que, em qualquer bom empreendimento, seja espiritual ou mesmo material, haja a fé que desperta a energia latente de todos nós.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada na Edição 78 de “O Cristão Espírita”, de Janeiro / Abril de 1986)

Voltar ao topo

REENCARNAÇÃO

Homem subindo escada em ambiente espiritualMuitos irmãos nossos encarnados na Terra não admitem a reencarnação. Mesmo quando acreditam num Ser Superior que comanda o Universo, na hora dos sofrimentos ou dos embaraços da vida ficam sem entender a razão da desigualdade existente entre os seres. Se tudo lhes corre bem, imaginam-se privilegiados. Se suas ansiedades não são satisfeitas, dizem-se injustiçados.

Os que não crêem em Deus tornam-se cínicos aproveitadores. Não vendo nada além da matéria, procuram tirar dela todo prazer possível. Este prazer é tão exigente que quase sempre transforma os seus seguidores em toxicômanos e depravados morais.

Só a reencarnação nos dá a exata compreensão da justiça de Deus e a medida perfeita para que se possa avaliar o porquê das diferenças dos destinos dos homens. O espírita aceita a reencarnação. Eis a razão pela qual, além dos seus deveres de cristão, tem também a obrigação de se sentir feliz.

Se sofre, é para dirimir dívidas do passado.

Se o sacrifício é constante em seus dias, é para transformá-lo em luz amanhã.

Se serve, é para merecer alegria.

Se encontra obstáculos no caminho, é para aprender a superá-los e exercitar sua confiança na Provid ência Divina.

Bendito seja o Espiritismo - que tem entre suas bases a reencarnação, que nos dá o entendimento da justiça de Deus e que nos leva à fé raciocinada que facilita o nosso avanço para a perfeição.

Ignácio Bittencourt

(Mensagem originalmente publicada na Edição 79 de “O Cristão Espírita”, de Maio / Agosto de 1986)

Voltar ao topo