Retrato de Bezerra de Menezes

Casa de Recuperação
e Benefícios
Bezerra de Menezes

Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade. - Allan Kardec

Conheça também e inscreva-se
em nosso Canal de vídeo

Logo do Youtube

MENSAGEM AOS QUE SOFREM

A ausência do Evangelho nos corações dos que perambulam por entre as provações do mundo, conduz irmãos tendentes à prática do bem, mas sem profundas raízes na fé verdadeira, a tumultos íntimos que os levam a prantos e dores sem fim. Muitas vezes é difícil atingir as mentes desses irmãos titubeantes, mentes que são, não raro, imediatamente envolvidas por densas trevas e desconcertante desequilíbrio, ao defrontarem o primeiro empecilho em seu caminho, porque a ausência de fé os torna indefesos.

Se em cada lar cristão o Evangelho fosse lido e meditado com constância, tanto quanto possível com a reunião de todos os componentes da família, muito poderiam eles evitar, relativamente a agravos, preocupações e sofrimentos, e maior paz permaneceria em seus corações.

É nosso objetivo incentivar esses irmãos à leitura constante da palavra do Mestre, seguida da observação de seus preceitos, pois o Evangelho é a água viva protetora que reequilibra e reajusta, que esclarece e orienta, reconforta e conduz de retorno à realidade da existência de cada um, propiciando a reconquista da tranquilidade pelo desenvolvimento da fé.

Não devemos esquecer, caros irmãos, que o tempo perdido não se recupera com facilidade, mas as consequências daí decorrentes podem ser atenuadas e superadas, pois a cada instante a divina inspiração visita nossas vidas.

A trajetória do ser humano na Terra tem como principal norma a maior e a melhor reforma moral e espiritual de cada um, reconfortando no amor cristão aqueles que compreendem o dever de servir e a necessidade de resgatar os débitos contraídos e representados pelas provações no curso da vida terrena. Portanto, a cada momento, a cada dia, mesmo os que sofrem, estão todos plenamente em trabalho redentor, do qual Jesus espera os melhores frutos.

Que Maria Santíssima abençoe todos os irmãos em prova e Jesus bendiga os esforços que estiverem sendo dirigidos para o bem.

Bezerra de Menezes

(Mensagem do patrono de nossa CASA, Bezerra de Menezes, recebida por seu fundador, Azamôr Serrão, publicada em O Cristão Espírita - Ed. 35 - Maio / Junho de 1971)

PROGRESSIVIDADE DA REVELAÇÃO DIVINA

foto de margaridas se abrindoO homem, desde que habita a terra, não tem ouvido em todos os tempos a mesma linguagem. Em cada época de transição só lhe é dito e dado aquilo que ele pode suportar. A humanidade precisa ser preparada para o que lhe cumpre saber. A cada ida de sua necessário é que se lhe fale a linguagem conveniente, a fim de que ela compreenda e atenda.

Homens, não esqueçais que éreis criancinhas quando Jesus desceu à terra para vos traçar os caminhos da regeneração e lançar-lhe as bases e que agora quase que ainda o sois.

Curvai-vos diante da sabedoria infinita que preside ao vosso progresso e o dirige por intermédio do Cristo, vosso Mestre, protetor e governador do vosso planeta e da sua humanidade, dando-vos pouco a pouco a luz e a verdade, conduzindo-vos gradualmente, através dos séculos, para a perfeição. {...}

A cada era uma revelação, progressiva e apropriada às necessidades dos tempos, ao estado das inteligências e aos reclamos da época, velada pela letra, quanto convenha, ensinando-vos sempre a verdade, gradualmente, na medida do que podeis receber e conservar, levantando pouco a pouco a ponta do véu que a esconde aos vossos olhos.

("Os Quatro Evangelhos", de Jean Baptiste Roustaing, Tomo I, itens 14 e 31).

ASPECTOS ESTÁTICO,DINÂMICO E MECÂNICO DO UNIVERSO (Cont.)

Do exame desses três aspectos surge a ideia gigantesca que domina todo o universo. Quer o observemos como organismo, como devenir, ou como lei, chegaremos ao mesmo conceito por três estradas diferentes, que se somam e reforçam a conclusão. Ascendemos, assim, ao Princípio Único, à idéia central que governa o universo. Esse princípio, essa ideia, é ordem. Imaginai, se a ordem não reinasse soberana, que choque tremendo sofreria um funcionamento tão complexo como é o da criação, um transformismo que jamais pára! Somente esse princípio pode estabilizar um movimento de tamanha vastidão. Cada fenômeno, em cada campo, tem uma trajetória própria de desenvolvimento, que não pode mudar, é sua lei, coordenada à lei maior; tem uma vontade de existir numa forma que o individualize e de mover-se para atingir u’a meta exata, razão de sua existência; é lançado com velocidade e massa que inconfundivelmente o distingue entre todos os demais fenômenos. Como poderia tudo mover-se sem precipitar-se num cataclismo imediato e universal, se cada trajetória não tivesse sido já traçada inviolavelmente? Não podeis deixar de encontrar esse princípio de uma lei soberana, em toda parte e a qualquer momento. Vossa vida individual, vossa história de povos, vossa vida social têm suas leis. Vossas estatísticas, pelo princípio dos grandes números, colhem-nas e podem dizer-vos quantos nascimentos, mortes ou delitos acontecerão aproximadamente nos anos seguintes. Também o campo moral e espiritual tem suas leis; embora sua complexidade vos faça perder o rastro, a lei subsiste também nesse campo, matematicamente exata. Não vos falo de fenômenos biológicos, astronômicos, físicos ou químicos. Se podeis mover-vos, agir e conseguir qualquer resultado, é porque tudo em torno de vós se move com ordem, de acordo com uma lei, e nessa lei tendes sempre confiança porque só ela vos garante a constância dos efeitos e das reações. Lei não inexorável, não insensível, mas complexa, extraordinariamente complexa em todo o entrelaçamento de suas repercussões; uma lei elástica, adaptável, compensadora, construída com tão vasta amplitude, que abarca em seu âmbito todas as possibilidades. Lei, sempre lei, exata nas consequências de qualquer ato, férrea nas conclusões e sanções, poderosa, imensa, matematicamente precisa em sua manifestação. [...]

Não confundais a ordem e a presença da Lei com um automatismo mecânico e um fatalismo absurdo. A ordem, vo-lo disse, não é rígida, mas apresenta espaços elásticos, contém subdivisões de desordem, imperfeição, complica-se em reações, mas permanece ordem e lei no conjunto, no absoluto. Um exemplo: em oposição à vontade da Lei, tendes a vontade de vosso livre-arbítrio, mas é vontade menor, marginalizada, circunscrita por aquela vontade maior; podeis agitar-vos a vosso bel prazer, como dentro de um recinto, não além dele.

Essa movimentação vos é permitida, porque necessária para que sejais livres e responsáveis no ambiente que vos cerca; possais, assim, com liberdade e responsabilidade, conquistar vossa felicidade. Resolvi (assim de passagem) o conflito que para vós é insolúvel entre determinismo e livre-arbítrio. Estes conceitos levar-vos-ão, posteriormente, a conceber uma exata moral científica.

("A Grande Síntese", de Pietro Ubaldi, Cap.7)

LEMBRANDO KARDEC

Celebramos os 150 anos da Revista Espírita trazendo a cada semana algumas passagens selecionadas de seus 12 substanciosos volumes. Os destaques de hoje estão nas edições de 1864. Confiram, são verdadeiras preciosidades, degustadas em poucos minutos de leitura...

CANTINHO DO CHICO

O Verdadeiro Espírita:

"Os Benfeitores Espirituais sempre me dizem que temos espíritas de variados matizes e acrescentam que o espírita ideal é sempre aquele que conjuga a sua fé com o trabalho ativo no bem incessante, tomando por base o próprio aperfeiçoamento. Emmanuel costuma afirmar que o espírita genuíno é sempre alguém que caminha no mundo aprendendo e servindo, porque aprendendo estaremos na educação, e servindo viveremos na caridade. Nesse sentido, nosso orientador sempre recorda a palavra de Allan Kardec quando assevera que o verdadeiro espírita é conhecido pelo esforço que realiza na própria sublimação de ordem moral. Assim, peçamos a Jesus que nos inspire e proteja, porque, segundo os nossos Orientadores da Vida Maior, estamos em nossas casas doutrinárias com o Espiritismo prático e que, fora delas, os nossos irmãos de Humanidade estão procurando em nós todos o Espiritismo praticado".

Amor e Sacrifício:

"Não digas, alma irmã, que a Terra é triste. A Terra, em toda parte, é iluminada escola. E a grandeza de Deus, em tudo quanta existe, é a luz que apóia, cria, equilibra e consola. Do resplendor solar aos abismos do mundo, de esfera a esfera, em paz, a vida se confia ao sublime poder do amor terno e profundo que envolve a própria dor em perpétua alegria. A Natureza inteira é sempre um livro aberto. À noite, dá medida ao tempo de alvorada, tudo é renovação, a campo descoberto, dos detritos do chão à abóbada estrelada.

Da rocha ei-la a surgir: a fonte viva e pura. E, beijando o calhau que se lhe atira à face, estende no deserto impérios de verdura, esparzindo a esperança em que a vida renasce.

Do lenho dado ao fogo o calor se derrama, faz-se a gleba jardim, ao golpe de tratares, é uma simples semente acomodada à lama, transforma o próprio charco em berçário de flores. Escuta, coração!... Perdoa, servente aceita a lágrima por luz nas tarefas que esposas, sofrimento constrói a harmonia perfeita, a treva aponta a estrela, os espinhos dão rosas!... Só no amor há poder divino e incontroverso que abraça anjos e réus, santos, crentes e ateus, e é o amor em sacrifício é a força do Universo que revela a Bondade e a Presença de Deus. - MARIA DOLORES

("A Terra e o Semeador", de Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier)