Retrato de Bezerra de Menezes

Casa de Recuperação
e Benefícios
Bezerra de Menezes

Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade. - Allan Kardec

Conheça também e inscreva-se
em nosso Canal de vídeo

Logo do Youtube

CRBBM CELEBRA O MÊS DE
BEZERRA DE MENEZES E AZAMÔR SERRÃO

Nosso mês de agosto é sempre especial. Foi a 1o. de agosto de 1969 que desencarnou o fundador e Orientador-Geral de nossa Casa, Azamôr Serrão. Foi no dia 29 desse mesmo mês que teve início a última encarnação do 13o. Apóstolo, Zaqueu/Matias, como Bezerra de Menezes, em 1831. Preparamos todos os anos uma agenda de homenagens que celebrem condignamente a memória dos dois e, principalmente, a de sua parceria no bem, e a desse ano ficou realmente especial:

ESPIRITISMO É JESUS EM AÇÃO

Filhos queridos,

Imagem do rosto de Jesus - filme Jesus de NazaréReencontrem os corações aflitos, que necessitam dos vossos para o reconforto diante das lutas do mundo. É nos momentos de dor e desespero que a fraterna mão do Criador surge como instrumento do Alto para amparar e salvar aquele que se encontra a meio caminho do precipício.

Descei aos charcos, se necessário e, em meio à lama, estendei os braços e socorrei com o mesmo amor do Mestre o irmão angustiado, perdido neste mundo de tantas provações e tantos desequilíbrios. Que os vossos lábios se abram para o esclarecimento dos que ainda não encontraram o caminho certo. Como discípulos de Jesus, ajudai os novos servos a compreender a necessidade do esforço e do sacrifício da caminhada, educando-os e reerguendo-os com o auxílio do Evangelho. Assim, vós mesmos estareis recebendo também o vosso pão espiritual, porque, não vos esqueçais, é dando que recebemos.

Não lamenteis vossas dores e vossas lutas. Quando estiverdes a ponto de ceder, pensai em tantos outros irmãos que sofrem muito mais e defrontam lutas surpreendentemente mais duras e difíceis. Retemperai o vosso coração com a fé e a esperança, determinando-vos, com o pensamento em Jesus, a comprovar a força da vossa convicção cristã.

É no calvário das lutas e decepções humanas que podem ser construídas as ressurreições espirituais do futuro de cada qual. É no testemunho permanente que provareis a sinceridade e a segurança da vossa condição espírita-cristã, porque o Espiritismo é Jesus em ação. Quanto ao vosso esforço no bem, cabe ainda uma lembrança de nossa parte: deveis ser, acima de tudo humildes e desinteressados, pois não estais a servir a nenhum dos que vos rodeiam, nem mesmo aos que, no mundo espiritual, vêm em vosso socorro. Estais, e estamos todos, a serviço do Senhor Jesus, que se submeteu ao supremo sacrifício no Gólgota, para exemplificar o verdadeiro amor e a verdadeira caridade que promanam do Pai amado.

Servi cristãmente e buscai em cada irmão a sugestão da presença do Mestre entre nós, pois sois todos uma só família que, para evoluir, necessita de estar em harmonia e de aprender a amar a humanidade como Ele nos amou até ao sacrifício, sem se deixar perturbar por melindres e susceptibilidades que nada aproveitam ao desenvolvimento moral da criatura humana.

Que a Virgem pura vos encha os corações com a fé que incute a serenidade e a fortaleza nos instantes amargos e possais prosseguir com a visão clara e limpa nos momentos tumultuosos. Lembrai-vos: é o vosso testemunho de fidelidade cristã-espírita que permitirá a conquista do amanhã venturoso que o Cristo a todos prometeu no Evangelho.

Bezerra de Menezes

(Mensagem recebida pelo fundador e Orientador de nossa Casa, Azamor Serrão, e publicada na ed. 33 de O Cristão Espírita, Jan-Fev de 1971)

LEMBRANDO KARDEC

(Celebramos aqui os 150 anos da Revista Espírita, lembrando desta vez algumas de suas passagens interessantes das edições de 1859)

FERTILIDADE E INFERTILIDADE À LUZ DA DOUTRINA ESPÍRITA

Capa de Os Quatro Evangelhos, de Roustaing, Tomo IAcontece com a fecundidade da mulher o que se dá com a da planta. Os fluidos que transportam o pólen para a flor depositam o gérmen no seio materno; mas, assim como o pólen se perde no espaço se não é chegada a hora da reprodução, também o gérmen humano se aniquila sem produzir frutos.

Não acrediteis haja, para cada planta, para cada ser organizado, um Espírito especialmente incumbido de lhe superintender a reprodução.

Há a ação espírita, mas geral, exercendo-se sobre as massas. Os fluidos que vos cercam são divididos conforme às necessidades, tanto da planta presa ao solo, como do homem que procura elevar-se para o céu. O nascimento de cada novo ser se verifica a seu tempo e só a seu tempo.

Quer com relação à planta, quer com relação aos animais, a formação dos corpos materiais e o nascimento se dão na ocasião precisa e obedecem às leis gerais. Ocorre o mesmo relativamente ao homem, com apenas a diferença de que aí a formação do corpo e o nascimento são conseqüência de resoluções tomadas, antes da encarnação, pelo Espírito, cujo invólucro material terá que reproduzir ou não, ou reproduzir somente em certas épocas, conforme àquelas resoluções.

Como se vos há muitas vezes ensinado e bem o sabeis, o Espírito escolhe suas provações. Não lhe cabe compor a matéria do corpo que há de revestir; mas, de acordo com as provações escolhidas, ele pede, antes da encarnação, que esse corpo seja adequado às provas por que lhe cumpre passar. É, pois, o Espírito quem, pela ação da sua vontade, congrega os elementos necessários e repele os impróprios ao fim visado. Preparam esses elementos os Espíritos prepostos à formação dos corpos materiais em geral. Eles atraem as matérias animais para as condensar e formar os corpos, desempenhando assim, segundo as leis gerais, o encargo que lhes toca na obra humana dos encarnados, a fim de que os ditos corpos sejam apropriados ao gênero de provas que hajam de suportar os Espíritos que, no ato de encarnar, tenham de vesti-los. Daí as diversas posições no seio da humanidade.

O Espírito que vai continuar suas provas pede, antes de encarnar, seja a fecundidade material, seja a esterilidade durante todo o tempo da existência, seja ainda a esterilidade ou a fecundidade temporárias, que cessem em épocas determinadas, de acordo com o gênero das provações escolhidas. Resulta que o Espírito, desde os primeiros momentos da encarnação, atrai ou repele os fluidos favoráveis à procriação. Donde os nascimentos inoportunos, conforme aos desejos, ou a ausência da concepção, mau grado aos desejos do encarnado.

Em tais casos, a influência, a ação espíritas apenas se verificam como resultado do pedido do Espírito, da sua vontade, no momento em que escolheu as provas.

Os Espíritos, prepostos à formação dos corpos materiais em geral, agem, desde o primeiro momento, para dar-se a fecundidade ou a esterilidade, congregando ou dispersando os fluidos necessários à fecundação, até ao instante em que as condições do encarnado devam mudar.

Uma vez disposto e preparado o corpo para o gênero de provas escolhido, quer se trate da esterilidade, quer da fecundidade, antes que o ocupe o Espírito para quem ele se formou, submetidos os fluidos respectivos à direção dos Espíritos prepostos, estes se limitam a exercer a vigilância precisa para que cada provação siga o seu curso, para que os acontecimentos se realizem convenientemente.

Assim, o Espírito que escolheu a prova da esterilidade temporária, tomando o corpo com que a suportará, repele, durante certo tempo, os fluidos que servem à fecundidade e, expirado esse tempo, passa a atrair os mesmos fluidos, sempre sob a vigilância dos Espíritos prepostos.

Refleti agora: Zacarias, marido de Isabel, no uso dos seus direitos, rogara muitas vezes ao Senhor que o libertasse do opróbrio que pesava sobre o seu lar, concedendo-lhe um filho do sexo masculino. Isabel, por seu lado, pedira, dentro das linhas da missão que escolhera e para servir aos desígnios do Senhor, a esterilidade temporária. Dai vem que as condições humanas não se mostraram de molde a favorecer à maternidade, até ao momento em que aqueles desígnios se haviam de cumprir.

Aos olhos dos homens, a súplica de Zacarias foi escutada, pois que o nascimento desejado se verificou. Do ponto de vista espírita, porém, o que se deu foi a cessação da prova da esterilidade. Tendo soado a hora da concepção e do nascimento, nasceu João.

(Os Quatro Evangelhos, de Jean Baptiste Roustaing, Tomo I, item 2)

AS PROVAS

Retrato de Pietro UbaldiSe vossa consciência já não vos faz mais admirar qualquer nova possibilidade, como podeis negar a priori uma forma de existência diferente daquela do vosso corpo físico? Pelo menos, deveis alimentar a dúvida a respeito da sobrevivência que vosso Eu interno vos sugere a cada momento, e que inconscientemente, por instinto, sonhais em todas as vossas aspirações e obras. Como podeis acreditar que vossa Terra pequenina, que vedes navegar pelo espaço como um grãozinho de areia no infinito, contenha a única forma possível de vida no universo? Como podeis acreditar que vossa vida de dores e alegrias fictícias e contraditórias possa representar toda a vida de um ser?

Então, não esperastes nem sonhasteis nada mais alto, na diuturna fadiga de vossos sofrimentos e de vosso trabalho? Se eu vos oferecesse uma fuga desses sofrimentos, uma libertação e uma superação; se eu vos abrisse o respiradouro de um grande mundo novo, que ainda desconheceis, e vos permitisseis contemplá-lo por dentro para vosso bem, não correríeis como correis para ver as máquinas que devoram o espaço sulcando os céus e ouvem as longíquas ondas elétricas? Vinde. Mostro-vos as grandes descobertas que fará a ciência, especialmente as das vibrações psíquicas, por meio das quais nos é permitido, a nós, Espírito sem corpo, comunicar-nos com aquela parte de vós que é Espírito, como nós.

Segui-me. Não se trata de um lindo sonho, nem a fantástica exploração do futuro, a que estou fazendo: é o vosso amanhã. Sede inteligentes à altura de vossa ciência; sede modernos, ultramodernos, e vislumbrareis o Espírito, que é a realidade do amanhã, e o tocareis com o raciocínio, o refinamento de vossos órgãos nervosos, com o progresso de vossos instrumentos científicos. O Espírito está aí, à espera, e fará vibrar as civilizações futuras.

As verdades filosóficas fundamentais, tão discutidas durante milênios, serão resolvidas racionalmente por meio da simples razão, porque vossa inteligência terá progredido; o que dantes, por outras forças intelectivas, tinha que ser forçosamente dogma e mistério de fé, será questão de puro raciocínio, será demonstrável e portanto, verdade obrigatória para todo o ser pensante.

(Pietro Ubaldi, "A Grande Síntese", Cap. 3)